Pra viajar de avião tem que ter educação

Ainda sobre a Viagem à Sicilia, vou escrever um pouquinho sobre o tema aí do post. A Elisa já cobrou este post que demorou para sair, mas agora vai. 😉

Ficamos  impressionadas com  a falta de educação de alguns passageiros  nessa viagem. Concordam que o avião é um transporte coletivo ? Presume-se que em transportes coletivos deve-se adotar algumas normas de boas maneiras, a fim de não incomodar os demais passageiros, como é desejável também que não sejamos  incomodados.

No vôo de ida, como relatei no post Viagem à Sicilia, o avião tinha vários assentos vagos, e nesta situação é comum que os passageiros passem para  outros assentos, onde talvez, eu disse talvez, possa-se esticar as pernas na cadeira do lado. Claro que deitar nos quatro assentos, como numa cama, é a glória, mas quase impossível. Olhei para o lado e vi que as quatro poltronas estavam ocupadas  somente por 1 senhora, portanto com 3 lugares vazios. Levantei-me e pedi licença para sentar na ponta extrema dela, restando 2 lugares vazios, no meio. Algum tempo depois dobrei as pernas para o lado, restando a poltrona ao lado dela, vazia. Doce ilusão imaginar que ela iria fazer o mesmo, dobrando as pernas para o lado. Ela esticou literalmente as pernas e começou a me chutar de leve. Sério. Continuou  e eu ignorei, encarei aquilo como se estivesse esquentando meu pé, já que ela era gordnha. Eu meio que cochilando, senti de repente, um peso nos meus pés. Quando olhei, ela tinha se sentado em cima dos meus pés ! É isso aí, estava literalmente sentada nos meus pés e, claro começou a machucar. Qua qua qua, não foi com vocês😉 Recolhi as pernas. Quando olhei para o lado, ela tinha se deitado nas 3 cadeiras, como se fosse uma cama. Ok, você venceu pela grosseria, me deu vontade de dizer a ela.

Na verdade, essas pessoas acham que as poltronas vagas ao  seu lado, são  latifúndio.

O 2o episódio ocorreu na viagem de volta. Saimos de Palermo com 3 horas de atraso, em vôo da TAM. Ao levantarmos vôo, percebemos que um grupo de homens, uns 3 ou 4, fazia muito barulho, com gargalhadas altas, além de passarem a ter algumas atitudes incovenientes. Continuaram assim por muito tempo, e a incoveniência com as aeromoças chegou a  tal ponto que elas  passaram a ser substituidas pelos comissários. Continuaram nesse mesmo clima de boteco, e alguns passageiros se levantaram, ficando ao lado de suas companheiras, pois às vêzes eles paravam do lado, fixando os olhos na pessoa, claro mulheres. Vários olhares de reprovação dos demais passageiros, mas nada os constrangia. Em algum momento, Bia se levantou e pediu ao comissário alguma providência.  Continuaram. Todo mundo querendo descansar, mas o show de  grosseria não acabava. Faltou  um pouco de firmeza por parte da tripulação, fazendo-os sentar  e acabar com a algazarra que incomodava  os demais passageiros. Como nada mudava, pedimos à uma aeromoça para passarmos para assentos mais à frente, já que o avião não estava cheio. Ela voltou nos informando que havia sim  2 lugares à frente, em outro compartimento, ainda na classe econômica, mas com mais distância entre as poltronas. Fui com a aeromoça que me mostrou na fileira de 4 assentos, 2  ocupados por 2 mocinhas, restando 2 lugares vagos. Reconheci essas 2 moças que na sala de embarque  estavam sentadas ao nosso lado, com bolsas, sacolas e roupas grifadas, se sentindo mó importante. Por educação, a aeromoça disse que passaríamos para as 2 poltronas ao lado. A resposta dada por uma delas foi – descansem em casa. Eu ignorei a falta de educação e trouxe nossas bolsas de mão. Pedi a Bia que se sentasse na poltrona  ao lado de um senhor que dormia, já que senti o clima hostil das vizinhas. Sentei-me na poltrona do corredor, restando vazia a poltrona ao lado das meninas mimadas, ocupada por  sacolas e bolsas delas. Já muito tarde querendo cochilar, a mocinha grifada acendeu a luz para ler, dirigindo o foco o máximo possível na minha direção, claro que no intuito de me incomodar para que eu me levantasse. Ignorei. Mais adiante, olhei para o lado e vi que a irmã tinha saido da poltrona, o que fez com que ela reinasse deitada nas 3 poltronas como se fosse a cama da casa dela. Não satisfeita, também começou a me chutar. Parece que virou moda. Continuei ignorando  as atitudes grosseiras das meninas mimadas que como a senhora acima  consideram as  poltronas vazias ao lado seus latifúndios, apesar de estarem viajando em transporte coletivo.

Essas pessoas que se “acham”, como os exemplos que citei acima são o retrato da falta de educação de alguns jovens  e adultos para viajar em transporte coletivo, e educação não está à venda em shoppings, concordam ?

 Se você quiser,  pode botar a boca no trombone que a casa é sua😉

16 thoughts on “Pra viajar de avião tem que ter educação

  1. Elisa says:

    oi Majô,
    eu já fui vítima de alguns mal-educados em aviões, mas nada comparado ao seu caso. Comigo o que aconteceu foi perfeitamente contornado pelos comissários. Foi no vôo da TAM, no retorno de Milão, onde tinham seis, isso mesmo, seis menores desacompanhados e logo no início da viagem começaram a fazerem brincadeiras “pesadas” entre eles, mas que incomodava quem estava perto (eu estava exatamente atrás). Mas depois de algumas reclamações dos passageiros, os comissários tracaram eles de lugares, colocando um em cada ponto do avião. Ao serem separados ficaram tranquilos.
    Já te falei que viajo mais de TAP, né? (aquela questão de sair do nordeste). Pois é, já percebi que na TAP não tem grupos, não tem muito brasileiro e nem muito italiano, parece que tem de tudo um pouco e mais são portugueses, então eu achei que (coincidência ou não) os vôos são mais tranquilos.
    Eu sou daquelas que reclamo e brigo, mesmo. Mas num caso tipo este que vc passou é complicado, porque o comissário vai fazer o quê?

  2. Infelizmente,

    A moda “meu direito vai até onde eu acho que eu mereço” está invadindo o Brasil e o mundo. Niguém se importa mais com outro.

    Imagina se um dia realmente liberarem os celulares nos aviões…

  3. Marcio says:

    É gente a Italianada é fogo mesmo, não estão nem aí……

    E essas mimadas??? se fossem tão grifadas assim estariam na executiva. Se tá na economica fica apertada e feliz como todos os outros!

    Ah gostei do blog estou linkando lá no A Janela Laranja!

    Um bjo

  4. Majô says:

    Elisa, a tripulação deveria ter feito com os chatos barulhentos incovenientes, o mesmo que fizeram com os adolescentes. Por um acaso, não eram brasileiros, talvez argentinos ou peruanos.

    Rodrigo, é isso aí, é o “eu tenho, eu posso tudo…..”

    Marcio, pois é também acho que deveriam ter fretado um avião. Muita grife e pouca educação, acontece….. Obrigada, sou visitante do A Janela Laranja faz tempo, amo suas fotos, vou linkar você também😉

  5. Mari Campos says:

    Majô, a má educação parece ser uma síndrome mundial – mas devo dizer que, infelizmente, está afetando os brasileiros especialmente em proporções assustadoras. 🙄 Não apenas nos aviões em que, sim, sempre há muita gente folgada mesmo, mas também em situações como:
    – pessoas que atendem celular e falam (alto!) durante filmes no cinema, aulas e outros do gênero
    – pais que não controlam as estripulias de seus filhos nos aviões, restaurantes etc
    – brasileiros que são grossos com argentinos em Buenos Aires porque os últimos não sabem algumas palavras em português (!!!)
    – pessoas que não apenas furam filas, como “destroem” as filas nas horas de comprar ingressos ou entrar nos aviões
    E muitas outras coisas.
    Mas essa velhinha e essas “moçoilas grifadas” acho que teriam me feito descer do salto… 😆

  6. Majô says:

    Mari, concordo com você, é uma síndrome mundial mesmo, e como a falta de educação me incomoda😆

    Celular é ótimo, mas as pessoas perderam a noção do quanto incomoda. E aqueles que falam alto, usando o celular como rádio, como se nos interessasse a conversa dêles, né ?
    Odeio também os espertinhos nas filas. Aliás, os italianos não respeitam fila mesmo. Eles vão embolando na frente na maior, e tamos conversados👿

    Sabe, nas 2 situações quase falei, mas ia sair discussão, e àquela hora ia incomodar muita gente que estava cochilando ou dormindo. Maletas Giorgio Armanni, mas educação zero. 😈

  7. Carmen says:

    Majô,

    Eu também este año he encontrado pessoas maleducadas, groseras é nâo voy a decir a nacionalidad, pra no crear problemas (nâo eran brasileiros, por supuesto, ya que sempre vocês son muito amáveles e discretos, menos en el Carnaval, que nâo son discretos).

    Mais me sorprendió muito, ya que todos os que conozco en España son muy educados, con estudios y psicoanalistas.
    En el Hotel Ponta de Ocaporá estaba lleno de pessoas gritando a todas horas, fumando a todas horas y tirando las colillas en la arena a todas horas. Eu nâo fumo agora, mais he sido fumadora muitos años e respetado a los otros.

  8. Carmen says:

    Majô,
    Nâo pienses que en España todo es corrección y educación. Aquí también hay muchas pessoas sim educaçâo e groseras. Mais nâo son mis amigos.

  9. Majô says:

    Carmen,
    Pois é, acho que é um problema mundial mesmo.
    rsrs Ainda bem que nos aproximamos das pessoas com as quais nos identificamos 😉

  10. Chris Pessoa says:

    Menina, que absurdo!!! Eu nunca tive problemas nos aviões não, tirando o povo que quer conversar quando vc não tá a fim. Mas meu marido que viaja muito mais do que eu, reclama muito. Principalmente dos vôos para ou saindo da Itália…

  11. Majô says:

    Pois é Chris, foi mesmo muito chato em todas as situações. E como ficamos confinados durante muitas horas, as pessoas deveriam ter simancol. Imagino o que seu marido não agüenta, já que viaja tanto.😉

  12. Marcia says:

    Olá Majô!
    Adorei a descrição da tua viagem!
    É muito melhor que esses guias que se encontra para vender!
    Parabéns!
    Marcia.

  13. Majô says:

    Oi, Marcia

    Obrigada pela visita 😳 !!!!!!
    Estou escrevendo como se estivesse contando pessoalmente😉 Bem coloquial mesmo !
    Obrigada por ter gostado, e vamos em frente😆

  14. Lea says:

    Oieee
    Saudades! Quero te contar minhas novidades. Sumi, eu sei, mas por bons motivos… Sofia e trabalho novo!
    Alias, dei uma atualizadinha no Tripling, dá uma passada lá!
    Beijos!

  15. Malu says:

    Majôzinha, estou dando uma zapeada pelo Blog e achei esse post antigo. Gostaria que vc voltasse a esses assuntos: Síndrome da Classe Econômica e a má educação durante os voos. Quem sabe aparecem novas dicas de como nos prevenirmos e como nos livrarmos de “saias justas” sem descer do salto alto. Beijos querida.

  16. Majô says:

    Malu, já que você pede tentarei fazer o post sobre ambos😉 Sem dúvida, viajar em avião perto de pessoas sem educação é muito desagradável.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s