Noanoseguinte… Toque, visitando Olinda e museu Brennand

2004 chegando ao fim,  cabecinha estressada no trabalho pensando em férias,  e volta e meia, virtualmente mergulhava nas fotos daquele mar verdinho de águas mornas, e andava  nas praias de areia branquinha, de Alagoas.

Mas, e aí, férias pra onde ? Pensa daqui, imagina dali, Trancoso ? Comuruxatiba onde morava uma amiga de Bia que se mudou para lá e  sempre convidava para passar uns dias.  Praia do Forte ? Itacaré, Noronha ? Bem, quer saber ? Na dúvida, vai-se no certo, Pousada do Toque tinha sido tudo de bom, então não tem erro é pra lá que vamos. Aliás, encontramos hóspedes  que voltaram pela mesma linha de raciocínio. 

Em 2004  passei a  acompanhar  o Freire’s  que tínhamos conhecido por intermédio da Sylvia, aquela  hóspede paulista que aparece  no post anterior. Aliás, é sempre bom lembrar, falando em voz bem alta para ele mesmo ouvir,  o Riq foi o  descobridor da Pousada do Toque e da Rota Ecológica !!

Reservamos com o Nilo 1 semana, a partir do sábado, 15 de janeiro de 2005.  Só que nas 2 semanas anteriores  choveu horrores e várias cidades em Alagoas ficaram alagadas (sem trocadilho) porque os rios transbordaram, não sei se vocês lembram ? Falava por e-mail com o Nilo que tranqüilizava, venham, essas inundações são nas cidades ribeirinhas. Vai não vai, uma colega de trabalho também ia para Alagoas, nosso santo foi forte, no dia em que embarcamos abriu um sol lindo, e na semana em que estivemos lá foi sol o tempo todo. Do avião, sobrevoando Sergipe e Alagoas, via-se o rio São Francisco grandioso e barrento desaguando naquele mar lindo verde, parecia que maculava um pouco.

O Manoel,  motorista que fez nosso transfer para a Pousada, calmo que só ele, conversava o tempo todo e foi nos atualizando com as novidades.  Chegando na Pousada, aquela alegria de estar no paraiso e junto àquele povo de fala mansa e risos largos.  Maria Luisa e Gilda nos esperavam, upa, abraços saudosos. Depois, fomos para o chalet, desta vez o Bambu, quase igual ao do ano passado.  Em seguida,  bate na porta o querido JR com uma água de coco geladinha, bolo com sorvete e um expresso. Delicadezas do Toque. 

Um pouco depois, um mergulho e uma caminhada até Porto da Rua.

porto-da-rua-2005-350-px.jpg

Em frente à Porto da Rua, os barcos dos pescadores  atracados

 toque-3-2005-350-px.jpg

Volta-se com o sol sumindo, e essa paisagem.

A novidade,  sempre tem uma novidade da Gilda, era uma tenda para massagem pertinho da praia, com palha, cortina de conchinhas, ao fundo barulhinho das ondas e uma paaaz.

tenda-toque-2005-350-px.jpg

tenda-toque-1-2005-350-px.jpg

Quando passamos vimos essa gracinha.

A Gilda em 2005  trouxe o Tom, massagista de um consultório de cirurgião  plástico de Maceió. Para mim,  foi o melhor massagista que conheci, fazia todas e bem, shiatsu, polarizada, ayurvédica, Jacobson, sueca, drenagem linfática. Você saia nova.  E massagem no final do dia, com barulhinho do mar era tudo de bom.

Banho e jantar, comecei  os trabalhos com lagostim e frutas  grelhadas, o meu preferido e de sobremesa pudim de capim limão.

 Domingo, praia e a diversão preferida dos moradores dos povoados, pescaria.

toque-2005-5-2005-350-px.jpg

porto-da-rua-2005-1-350-px.jpg

toque-pesca-1-350-px.jpg

toque-pesca-2005-350-px.jpg

Viu, olhem os peixinhos

peixe-folha-2005-350-px.jpg

Acho que é o peixe folha

placa-nordeste-2005-350-px.jpg

Caminhando, passei por esta placa, D. Gramática estava em férias😉

porto-da-rua-nordeste-2005-350-px.jpg

Chegando em Porto da Rua.

porto-da-rua-1-2005-350-px.jpg

Entrando em Porto da Rua pela praia.

porto-da-rua-pesca-1-2005-350-px.jpg

Segui os pescadores e, taí a pescaria.

porto-da-rua-pesca-2005-350-px.jpg

mapa-litoral-norte-al-e-pe.jpg

Eu achava que Olinda com suas igregas era uma jóia que eu tinha que conhecer, e afinal de contas estávamos relativamente perto. O Museu Brennand, em Recife também despertava muito interesse. Conversando com Nilo e Gilda, vimos que sim, era possível saindo cedo e voltando à noite. Tomamos café e saimos bem cedo, às 8:15h Flávio já nos esperava.

Atravessamos a balsa em Porto de Pedras sem demora.

 ballsa-porto-das-pedras-2005-350-px.jpg

Na balsa, saindo de Porto de Pedras.

japaratinga-2005-350px.jpg

Passamos por Japaratinga, a paisagem na estrada é linda assim, por muito tempo.

Ainda de manhã chegamos no Museu Brennand, em Recife, há 15 min do centro, o Flávio sabia direitinho como chegar. Pagamos R$4,00 (em 2005) o ingresso sem fila.

Eu não sei se vocês conhecem, o Brennand é artista plástico brasileiro. Conhecia suas cerâmicas e algumas esculturas de longa data  por um vizinho nosso do prédio onde morávamos no Leblon,  o Alberto Reis, arquiteto que  era amigo do Brennand e representante de suas cerâmicas  no Rio.  Eu linkei sites da Oficina, onde vocês podem ler um breve histórico de seu trabalho. 

O Museu superou as expectativas, é espetacular. Ao entrar há  esculturas monumentais,

museubrennand-2005-400-px.jpg

são milhares

 museubrennand-13-350-px.jpg

distribuidas por jardins e galpões

museubrennand-21-350-px.jpg

museubrennand-17-350-px.jpg

museubrennand-6-350-px.jpg

museubrennand-7-350-px.jpg

museubrennand-10-350-px.jpg

museubrennand-4-350-px.jpg

museubrennand-9-350-px.jpg

Telas

museubrennand-18-350-px.jpg

Jardim projetado por Burle Marx, no lago  cisgnes negros.

 

museubrennand-16-350-px.jpg

Muitíssimo  bem organizado,  padrão  internacional. Indo à Recife, não deixe de visitar o Museu, e separe umas 2 horas para ele.

OLINDA É LINDA

Declarada Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, pela UNESCO, em 1982.

Chegando  em Olinda,  uma joia mesmo.  No Centro Histórico,  os casarios, as igrejas, é tudo lindo. Fomos subindo aquelas ruas estreitas procurando o restaurande indicado pela Gilda, o Oficina do Sabor que por sinal tem uma vista linda.  Dali seguimos a pé para  visitar  a Catedral e o Mosteiro de São Bento. Há meninos guias que se aproximam,  explicam direitinho  a história do Mosteiro que foi construido no século XVI, destruido pelos holandeses em 1631. Até a informação de que o altar todo em ouro esteve em exposição  no Museu Guggenheim, em Nova York,  em 2002 o menino sabia.  Apontou uma pintura à esquerda como sendo a mais antiga. Aliás, a idéia de treinar os meninos para guias achei excelente, deveria ser copiada nas outras cidades.

Desculpem, as fotos não estão boas, são da era pré-Nikon, a Sony Cybershot 3.2 pé de boi.

 

mosteiro-sao-bento-olinda-2005-350-px.jpg

mosteirosaobento-olinda-2005-350-px.jpg

mosteirosaobentoolinda-2005-350-px.jpg

O Mosteiro de São Bento é o mosteiro beneditino mais antigo do Brasil. O altar é realmente belíssimo e é o maior do Brasil.

Na saída, comprei medalhinhas de São Bento que têm cunhada de uma lado, a cruz  e do outro, a imagem de São Bento. Não sei se vocês sabem, esta medalha é uma proteção, o próprio monge que vendia as medalhinhas dizia isto. Uso sempre.

Os guias mirins na saída esperam uma gratificação ao nosso critério, trabalham direitinho merecem incentivo. Dá-se com prazer.

Seguimos para o Convento de São Francisco. Quando o Flávio estacionou o carro, aproximou-se um rapaz e eu pensei, ih vamos ser assaltados. Que nada, oferecia o serviço de guia. Seguiu-me o tempo todo, dando todas as informações sobre o convento franciscano mais antigo do Brasil, cuja construção foi iniciada em 1585.  Disse ele que os escravos assistiam a Missa do lado de fora da Igreja.

convento-sao-franciscoazulejos-1-2005-350-px.jpg

O claustro e  azulejos portugueses.

conventosaofrancisco-3-350px.jpg

conventosaofrancisco-5-350-px.jpg

conventosaofranciscoazulejos-2005-350-px.jpg

Abaixo do piso deste pátio, há uma cisterna que recolhe a água da chuva, reparem a caimento do piso para o meio, onde há umas fendas.

conventosaofrancisco-4-2005-350-px.jpg

conventosaofrancisco-sacristia-1-2005-350-px.jpg

A Sacristia é lindíssima.

conventosaofrancisco-sacristia-2005-350-px.jpg

olinda-1-2005-350.jpg

A vista de Olinda, do pátio do Convento.

olinda-2005-350px.jpg

olinda-2005-350-px.jpg

Saimos de Olinda de olho nos casarios e fomos à Casa da Cultura, em Recife, antigo presídio, onde vendem artezanato.

casa-da-cultura-recife-2005-350-px.jpg

casa-da-cultura-recife-2-350-px.jpg

As grades foram mantidas.

casa-da-cultura-recife-1-350-px.jpg

Organizado, bem instalado numa construção muito interessante. Ainda passaram alguns grupos com bonecos mascarados dançando o frevo.

casa-da-cultura-recife-4-2005-350px.jpg

maquetepresidio-recife-2005-350-px.jpg

A maquete da Casa.

Saimos já à noite de volta para São Miguel dos Milagres. Chegando em Porto da Rua, no meio da pracinha há um armário com uma TV comunitária. À noite abrem as portas e o povo assiste a novela. Uma graça.

tv-porto-da-rua-350-px.jpg

 

No dia seguinte

piscinas-naturais-2a-2005-350-px.jpg 

piscinas-naturais-ourico-2005-350-px.jpg

piscinas-naturais-5-2005-350-px.jpg

esnorkeando nas piscinas naturais

piscinas-naturais-2005-350-px.jpg

piscinas-naturais-11-2005-350-px.jpg

piscinas-naturais-1-2005-350-px.jpg

piscinas-naturais-4-2005-350-px.jpg

Vocês estão vendo que em um ano nada mudou, as praias continuam preservadas. Aliás, quando caminho por lá, viro fiscal😉  Se encontro garrafas pet na areia, recolho e deposito em lixeira de Porto da Rua. Caminhando no ano passado, vi um homem com uma rede em volta do corpo que recolhia garrafas e ia colocando dentro dessa rede. Cada um fazendo um pouquinho, a praia se mantém só com algas, conchas e peixinhos.

Importante: em 2005, a Pousada do Toque já constava do Roteiro do Charme,  coroando o trabalho de Nilo e Gilda, que investem tudo na Pousada.  Quando saimos, recebemos nosso passaporte !

23 thoughts on “Noanoseguinte… Toque, visitando Olinda e museu Brennand

  1. Carla Castro says:

    Uau, com essa sequência sobre a pousada do Toque, você está me deixando doida de vontade de largar tudo e ir ficar de papo para o ar nessa beleza!!!

    E dessa vez com direito a passeios culturais, foi ótimo!!! Nào conhecia o artista, mas adorei o museu Brennand!

    Abraços,
    Carla

  2. Majô says:

    Carla, não é só você !! Dá vontade de morar lá. Aliás, essa vontade dá em muita gente. Há uma hóspede paulista do Nilo que comprou terreno e estava construindo casa lá perto.
    Pois é, em um dia fizemos este passeio que agrega cultura e bastou fazer uma sacola para passar o dia. O Museu Brennand é bárbaro, havia muitos estrangeiros visitando.
    Obrigada pela visita😉

  3. Emília says:

    Delícia de post, Majô! Estava justamente falando com alguns amigos neste final de semana que estiveram na região e adoraram Recife e Olinda, inclusive falaram muito bem da Oficina do Sabor.
    Sobre o Brennand, morro de vontade de visitar o museu, desde que vi uma escultura dele chamada o Pássaro Roca, parecida com estes que estão na terceira foto do museu. Ela está localizada na estação Trianon-Masp do metrô de SP. Via todo dia e sempre dava uma olhadinha a mais😀
    E massagenzinhas, então? Falou a palavra mágica😆

  4. elisa says:

    Oi Majô,
    saudades de você, querida!
    E tb saudades de Recife e Olinda!

    Eu acho incrível como nossos gostos são parecidos! Você sabe que eu e Neno fizemos estes mesmos passeios que vcs fizeram: Oficina Brennant e Olinda completa. Fomos em fevereiro de 2006, nas prévias de carnaval que são muito melhor (na minha opinião) que o carnaval mesmo. Fez dois anos hj, lembro bem da data pq fomos para Porto de Galinhas no dia de San Valentino (dia dos namorados na Itália).

    Eu vou procurar e enviarei para teu email umas fotos da Oficina Brennand, são fantástica e depois vc pode enviar para a Emília. Tenho certesa que ela vai gostar tanto que vai ficar decidida a ir conhecer. O Neno e outros amigos italianos gostaram muito.

    Beijos.

  5. Majô says:

    Emília,
    Brigadim, você é sempre tão meiga🙄
    Eu saí de Olinda repetindo o tempo todo Olinda é linda ! Olinda é linda ! de tão encantada que fiquei. Só que achei que precisariam investir mais na preservação das igrejas e casas. O Convento de São Francisco por exemplo estava precisando de manutenção e restauração, pela relíquia histórica que representa.
    Realmente o museu do Brennand é dos mais bonitos que já vi, e a organização impecável. Quando estiver em Sampa vou tentar passar por esta escultura da estação do metrô.
    Ai, também adooro massagens.😉

  6. Majô says:

    Elisa,
    Que bom te ver por aqui !!!😆
    Pois é, enquanto escrevia o post pensava, este é um bom programa para Elisa e Neno, eles vão curtir. Eu também achei Olinda nesta época calma para você olhar e andar, sem tanta gente como no Carnaval. Imagino que os italianos devem ter adorado a cidade e o museu.
    Aguardo suas fotos para enviar para Emília. 😉

  7. É MUITO estranho aquele Museu do Brennand, com aqueles símbolos fálicos todos. Mas Olinda e Recife são um dos melhores roteiros turísticos do Brasil, juntamente com Porto de Galinhas e todas as redondezas e passeios a partir do Porto.

    Eu acho um espetáculo a vista que se tem de Recife e do mar, a partir dos mirantes das igrejas de Olinda.

    E tem uma coisa que pouca gente sabe: se estiver em OLINDA, passe na Prefeitura e pegue um guia tuíristico local. NÃO!, não aqueles moleques tagarelas que mentem e inventam um monte de lorotas sobre a cidade, decoram tudo e comecám a falar sem nenhum conhecimento. ME refiro a estudantes do segundo grau, treinados por professores de história e turismo, que prestam o serviço sem NENHUM custo (é claro que a gente dá uma graninha para eles) e são educados, intelgentes, sérios e muito úteis.

    A CASA da CULTURA é bacana também, mais pela arquitetura e pela curiosidade de já ter sido presídio do que pelo artesanato. Gostei imensamente de ir à Praça do Marco Zero em Recife, onde tem um farol lindo de Brennand bem defronte à “Recife Antiga”. Minha dica para quem vai à cidade por conta prórpria e de carro é tentar conseguir um guia local porque Recife é uma das cidades mais perigosas do Brasil.

    BOM TRABALHO esta matéria!

    Eu recomendo vivamente.

  8. Alexandre says:

    Majô, fiquei apreciando as fotos e morrendo de vontade de voltar na Rota Ecológica. Conheci a região em Junho/07, também por indicação do blog do Ricardo Freire. Fiquei hospedado na Pousada do Caju, ao lado do Toque. A região é maravilhosa, vale a pena retornar sempre que possível.

    Montei um roteirão no Nordeste, todo baseado no Freire´s, passando por João Pessoa, Recife, Olinda, Porto de Galinhas, Rota Ecológica e Maceió. O único problema foi a chuva, que atrapalhou a visita a alguns locais, como o Museu Brennand. Mas tudo bem, fica para a próxima viagem ao Nordeste.

    Parabéns pelo texto, aliás, por todo o blog. Ótimos textos, belas imagens!

    Um abraço!

    Alexandre

  9. Majô says:

    Arnaldo, achei o museu bacanérrimo, independente da simbologia das obras.
    Eu desconhecia os guias da Prefeitura aos quais você se refere. Mas, o menino que nos acompanhou, deveria ter uns 10 anos, com camiseta de guia turístico e suas informações estavam todas certinhas. Via-se que era um menino pobre que foi treinado e se esforçava para ser útil. Acho isto um trabalho de inclusão social. Na verdade, lembrei que ele não pediu, nós gratificamos espontâneamente.

    Sim, eu sabia que Recife é perigosa como as cidades grandes brasileiras, e com o Flávio como motorista fomos despreocupadamente, inclusive para voltar pela estrada à noite.

    Obrigada pela visita e pelo elogio, olha de quem !😉

  10. Majô says:

    Alexandre,
    Que bom que você tem boas referências, como hóspede da Pousada Cajú. Pelo que o Ricardo já comentou a comida é muito boa. O Riq é uma fonte segura, em 2005, imprimi e levei as dicas do Freire’s daquela região. O legal é que todos os donos das Pousadas de S. Miguel dos Milagres, Toque, Cajú, Amendoeira e Côte Sud têm a consciência de preservar a região tal qual é.
    A sua viagem ao Nordeste deve ter sido tudo de bom. Não conheço João Pessoa, dizem que as praias são lindas.
    Obrigada pela visita e pelos elogios😳 . Já vi que você tem blog, vou visitar😉

  11. says:

    Majô, muito bacana essa sua viagem! Tudo muito lindo e de bom gosto, como sempre.:mrgreen:

    É incrível como o Brasil tem tantos lugares lindos e às vezes a gente nem dá conta disso. Precisamos dar mais valor para as coisas que temos…

    A dica do Arnaldo é boa: é bom saber que existem guias autorizados pela prefeitura. Por outro lado, eu também acho um barato esses moleques que servem de guias nesses locais históricos, principalmente no Nordeste. Melhor assim do que se envolver com drogas ou coisa parecida, né? Estão trabalhando e merecem uma recompensa, sim.😀

  12. Majô says:

    Zé, cada vez que a gente vai para lá, gosta mais e mais 😆 Esta região do Nordeste além de praias lindas com mar azulzinho e translúcido é preservada de turismo predatório, graças a Deus. Como diz o Riq, não espalha😉

    Sim, é bom que as prefeituras tenham iniciativa de treinar os meninos para guias de turismo, deveriam fazer isto no Rio.
    Este é o ponto, estes meninos estarem trabalhando, ao invés de irem para as drogas que estão de braços abertos para eles. Temos que incentivá-los a terem opções dignas e sairem das ruas, estudar e trabalhar. 😆

  13. Carmen says:

    Majô, você está com a razão: qué linda é Olinda!. Mais estando de férias todo é bo e belo.

    Eu tenho saudades de Brasil, mais não sé si este julio-agosto 2008 iré o não a Brasil. Eu sou feliz, en o seu país, até quando chove.
    É um país jovem.
    Muito bonitas as fotos adoré a foto da menina e os peixinhos.
    Beijos

  14. Majô says:

    Carmenzita, concordo, em férias consiguimos extrair com olhos “estrangeiros” o melhor de tudo !!!

    Eu já disse que você é brasileira honorária de tanto que gosta de nosso país !! Sempre com olhares generosos.
    O Rio de Janeiro nesta época de julho, tem temperatura agradável, e chove pouco. Mas é preciso variar de destino um pouco, muita coisa linda para se ver em nosso planeta.

    Obrigada, mas como disse lá a natureza é bela, basta apertar o botão da câmera🙂

  15. Luisa says:

    Majô, faz teeeeempo que quero visitar Olinda, mas por alguma razão (insanidade, talvez?) acabo adiando a visita…

    Adorei visitar Olinda com vc!

    Bjs

  16. elisa says:

    Majô,
    não posso vir ao computador e resistir de vir aqui ver este post, que é lindo!

    Com estas fotos vc fica só me “atiçando” a ir neste lugar lindo e o pior é que já desisti por enquanto, porque como te falei achei muito complicado para mim chegar lá. Como eu sempre falo: eu moro na “contra-mão” do mundo, porque para sair de avião daqui para qq cidade do nordeste (exceto Fortaleza e Salvador) é um transtorno de conexões.

    Beijos

  17. Majô says:

    Luisa, Olinda está lá bonitinha esperando por você😉 Faz parte da história de nosso país, garando que você não vai se arrepender.
    Obrigada pela visita😆

    Elisa,
    A natureza lá é linda mesmo !
    Estou “atiçando” mesmo você, não pode perder este paraiso. Anime-se !!! 😆

  18. Majô, sabe, eu tô com vontade de fazer exatamente essa viagem. Passar uns dias entre Recife e Olinda. Conhecer Recife fora da praia como você fez e depois ir descansar nesse lugar que vocês descobriram. Eu preciso ir até lá.

  19. Majô says:

    Gira, faça sim !! Preferi também Recife e Olinda off praia, a parte histórica é bem rica. E depois, praia em São Miguel dos Milagres in natura.

  20. Rui Cruz pacheco says:

    Olá Majô, entrei, por acaso, no seu blog e não pude deixar de ver o seu encantamento pela minha terrinha e fico sinceramente feliz, pelo fato de você ter visitado alguns pontos turísticos daqui e ter tido boa impressão dos locais visitados. É verdade que a violência está se tornando um problema sério, porém, não é tão “perigosa”, como diz o Arnaldo Fatos & Fotos. Sabemos que no país inteiro existem cidades, onde os índices de violência são alarmantes, mas nem por isso, deixaremos de visitá-las. Eu mesmo já estive em várias capitais de nosso querido Brasil e fui muito bem recebido, não sofrí nenhum tipo de agressão, etc. Quando se vai para um estado em que você é um “estranho”, sempre procuramos tomar medidas que evitem, por exemplo, lugares desertos, etc. Não é bom ficarmos com essa sensação de pânico e, assim, deixar de visitar esse nosso maravilhoso Brasil.
    Agora, vou te dizer uma coisa: quando da sua próxima visita ao Recife, não deixe de ir ao Instituto Ricardo Brennand, na Várzea. Pertinho do centro do Recife. Se você se encantou com a Oficina do Francisco Brennand (que é primo em 1º grau do Ricardo), você vai ficar deslumbrada com o Instituto. E outra coisa: venha conhecer a nossa cultura do BARRO, visitando os municípios de Tracunhaém e o Alto do Moura (em Caruaru), não esquecendo de passar pela conhecida “feira de Caruaru”. Se você dispouser de um tempinho a mais, passe no Município do Cabo de Santo Agostinho e procure visitar a Cooperativa de Artesãos Ceramistas e o ateliê do Mestre Uruda. Aproveite para ir até a Praia do Paiva e tomar um banho de argila medicinal. O local é uma delícia. Tem, também, o Centro de Artesanato de Pernambuco, em Bezerros. E para finalizar, quero te fazer uma pergunta: você foi até ao Alto da Sé, em Olinda, e comeu aquelas gostosas tapiocas?? Se não, vais ficar com água na boca. Aos sábados e domingo sãos os melhores dias. Fervilha de tanta gente (locais e de fora). O entardecer no Alto da Sé, é outro programa que merece ser visto.
    Abraço e muita paz, luz e harmonia para todos nós.
    Rui Cruz

  21. Majô says:

    Rui, sua terra é linda sou encantada com ela !! Achei o Museu Brennand um espetáculo, nível internacional. Eu desconhecia o Instituto Ricardo Brennand que dei já dei uma olhada no site . Aproveito e deixo o link http://www.institutoricardobrennand.org.br/index2.html Pelo que vi é fantástico como você diz. Preciso voltar para conhecer ele e o roteiro todo que você acabou de nos deixar😉 Beleza !!
    Quanto à violência, infelizmente atinge a todas as principais cidades do país. Temos que tomar cuidados e ficar espertos.
    Obrigadíssima pela visita e pelo serviço de utilidade pública que nos prestou, deixando tantas dicas🙂 Volte sempre.

  22. SOPHIA says:

    lembrem-se , o nordeste não é só litoral , coloque em sua lista esta cidade aí que tem um dos mais completos festivais culturais do pais , o FESTIVAL DE INVERNO DEGARANHUS (EM JULHO) , O GARANHUNS JAZZ E BLUES FESTIVAL NOCARNAVAL , O FEMUARTE EM ABRIL . Quando conheci fiquei encantada , val a dica
    acessos panorâmicos encontram-se em:
    http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=488291
    http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=247822
    http://db5.skyscrapercity.com/showthread.php?t=743800

  23. Majô says:

    Sophia, muito obrigada pela dica e pela visita !!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s