Conhecendo Annick Goutal, agradecendo à N.S. da Medalha Milagrosa e dando uma passadinha na Grande Épicerie de Paris.

3a feira de manhã fomos à praça St. Sulpice, caminhando e admirando as vitrines francesas que primam pelo bom gosto.

Tirei fotos de algumas que achei delicadas e femininas.

E, tinha também este gato exibido fazendo graça.

E estes móveis bacanérrimos

Estávamos ali por conta de uma encomenda da  Cláudia, amiga e vizinha desde Leblon e Ipanema,  uma água de colônia da Annick Goutal . Eu não sei se vocês conhecem a Annick Goutal, eu não conhecia. É uma perfumista artesanal da melhor qualidade e uma das lojas dela  é na Praça Saint Sulpice.  Quando entramos,  olfato aguçado já fomos conquistadas pelo aroma do ambiente, suave e delicioso. A vendedora foi nos apresentando às diversas colonias e perfumes todos com muita personalidade, era difícil dizer qual o melhor, e olha que na terra dos perfumes é difícil ter um diferencial😉 Vocês sabem como é entrar em lojas de perfumes, ficamos absolutamente inebriadas, e a área lógica do cérebro fica completamente anestesiada.  Depois,  ainda fomos apresentadas aos cremes.  O L’eau d’Hadrian era a encomenda da Cláudia, mas acabamos levando umzinho também.  A composição  de frutas cítricas, ylang ylang, baunilha deixa um aroma suave. Djilicia😉 E também um creme de tratamento para pele que ficou maravilhosa,  e  como a vendedora tinha dito durou mesmo 1 ano, com uso diário. De vez em quando temos que investir em nózinhas né ?  O endereço da loja é Place Saint-Sulpice, 12.

Paramos para comer 2 quiches e depois fomos andando até o Le Petit Zinc para arrematar com expresso e crème brûlée. 24 euros.

O principal programa do dia era a visita à Igreja de N.S. da Medalha Milagrosa, na rue du Bac.

Igreja de N.S. da Medalha Milagrosa, na rue du Bac, 140 é quase imperceptível para quem passa, pois só se vê um portão. Entrando há um corredor com uma loja de medalhinhas e no fundo a Igreja. Ao entrar pela 1a vez em 2000, fiquei absolutamente encantada com aquela jóia e para completar havia freiras rezando  o terço em francês, aquilo me tocou de tal maneira que me senti abençoada em poder estar ali exatamente onde Nossa Senhora fez aparições. A história é a seguinte: nesta igreja, N.Senhora fez 3 aparições à Catherine  de Labouré em 1830, quando pediu que fossem cunhadas medalhas e quem as usasse com fé receberia graças.  Catherine Labouré fazia parte de uma ordem chamada Filhas da Caridade, Filles de la Charité que existe até hoje. Em 1832, quando houve uma epidemia de cólera em Paris, as freiras da ordem Filles de la  Charité distribuiram as 1as.  2.000 medalhas, tendo havido inúmeras curas.  Em Paris começaram a chamar a medalha de Miraculleuse. Em 1835 foram distribuidas mais de 1 milhão no mundo inteiro. Em 1839 mais de 10 milhões. Quando Catarina de Labouré morreu em 1876 já haviam sido distribuidas mais de 1 bilhão de medalhas. Hoje em dia, há milhares de pessoas devotas à N.S. da Medalha Milagrosa.

Eu uso sempre.

Na 3a feira fomos à Igreja de N.S. da Medalha Milagrosa para agradecer estarmos em solo francês mais uma vez. Impressionante o recolhimento de todos e o silêncio e o respeito dos que entram. Fiquei um tempo ali agradecendo as graças que recebemos todos os dias e nem nos damos conta com o corre corre diário.

Horários:

Todos os dias das 7:45 às 13h e das 14:30 às 19h
Terça-Feira das 7:45 às 19h sem interrupção.
Domingo das 7:20 às 13h e das 14:30 às 19h.
Nos feriados das 8:15 às 12:30 e das 14:30 às 19h.

Na saída, compramos medalhinhas e terços para distribuição à família e amigos. Folhetos explicativos também, inclusive em português de Prrtugal.

Dali, viramos na rue de Sèvres e entramos na La Grande Épicerie de Paris que é um mercado enorme com produtos de excelente qualidade do mundo inteiro, queijos, especiarias, vinhos, patés, caviar, frutas lindas e imeeensas, peixes, pães maravilhosos, e tudo o que você imagine, tem. É impossível não sair de lá com uma sacola com croissants, paté, chocolates, vinhos, pêssegos imensos, ameixas etc. O picnic à noite estava garantido😉

Pulei uma parte. Quando íamos para a rue du Bac, pegamos o ônibus errado que entrou pelo Louvre. Descemos na rue de Rivoli, e já que estávamos por ali, aproveitei para ir à uma loja de perfumes Eden, indicada pela Cláudia, para tentar comprar um perfume que minha sobrinha Marcela tinha encomendado, o Nina, da Nina Ricci que eu não tinha encontrado no Free Shop. A dona da loja fala português perfeitamente, acho que morou no Brasil e fez um desconto muito bom, ah e tinha o Nina. Fica na Rue de Rivoli, 212.

Annick Goutal – Place Saint Sulpice, 12.

Igreja de N.S. da Medalha Milagrosa,  rue du Bac, 140

La Grande Epicerie de Paris – 24,  Rue de Sèvres

Le Petit Zinc –  11 Rue Saint-Benoît – tel: 01 42 86 61 00

Eden – Rue de Rivoli, 212

25 thoughts on “Conhecendo Annick Goutal, agradecendo à N.S. da Medalha Milagrosa e dando uma passadinha na Grande Épicerie de Paris.

  1. Lady Rasta says:

    Passei aqui pra dar um “oi”, já que estou com síndrome de abstinência…Majô, vc tá aí em Paris ou vc já voltou? Sempre me perco nas viagens de todo mundo…L’eau D’ Hadrien é uma delícia, também comprei pra mim no começo do ano quando estive em Paris…e tb assisti à missa na Notre Dame (peguei a missa das 6 da tarde, fiquei super emocionada…).

    Beijos!! Vou ver se me programo pra passar aqui de vez em quando…
    Flavia

  2. Majô says:

    Flávia, hehe precisei ir nos comentários para ver que você é a Flávia Penido😉 Já sei, a síndrome é pq os comentários do Riq estão em greve desde ontem:mrgreen:
    Menina, diria que minha alma está lá😉 No 1o post dessa série eu explico.
    Eu economizo o meu l’Eau d’Adrian🙄
    Volte sempre😉

  3. says:

    Majô, achei o passeio de hoje muito legal, viu?😀

    Adorei a medalhinha. Eu tenho uma imagenzinha de Nossa Senhora de Aparecida, — bem pequenininha, que eu ganhei da minha irmã — e que eu carrego sempre comigo, na minha bolsa, pra tudo quanto é lado. Protege a gente, né?:mrgreen: Tenho também um Menino Jesus de Praga — ganhei da minha mãe — Só que esse eu deixo em casa pra proteger a família😀

    Também gosto muito de perfume, Majô. Mas sou fiel ao meu há mais de 10 anos: Acqua di Gio. Uso todos os dias. Compro de galões, he he. Hummm, cheiroooooso😆

  4. Majô says:

    Zé, brigada😉 Faz muito bem, N.S. Aparecida é padroeira do Brasil, faz sentido né, muito bem protegido em terra de tio Sam. E fé de mãe com Menino Jesus de Praga, é muito poderoso ao mesmo tempo😆 Pena que eu não possa mandar a medalhinha da N.S. das Graças pelo correio, mas você pode imprimir a imagem aí de cima e colocar na sua carteira😉

    Que homem cheiroso, chiquériimo de Armani ! Já vi como você conquistou a Deb😉

  5. Lady Rasta says:

    Majô:
    Sorry, quando estou logada aqui no WP minha outra persona “assume” e eu não coloco o sobrenome…

    Sabe que eu reli o seu post com calma e lembrei que na minha lua de mel (há uns 14 anos – meu filho tem 11 e me separei faz tempo) eu fiquei em um hotel na esquina da rua do Petit Zinc, e jantei lá umas 2 noites. Dessa última vez cheguei a passar na frente, mas de dia, e acabei não comendo lá…mas é uma coincidência e tanto vc ter falado dele…
    Quanto às medalhinhas, pra essas coisas eu sou baiana mesmo: faço promessa pro Senhor do Bonfim, e toda vez que vou a Salvador dou um jeito de estar lá numa 6a feira para ir assistir missa toda de branco e agradecer…
    beijos!
    Flavia (agora vc já sabe que eu sou eu né? hehehe)

  6. Majô says:

    Que nada Flávia, achei uma graça seu nick Lady Rasta, tem personalidade😉
    Você vê que o Le Petit Zinc tem seus adeptos…. O crème brûlée deles era maravilhoso. Jantamos lá também com uma amiga que foi nos encontrar, desta vez do lado de dentro, um ambiente muito legal.
    Eu sou baiana menina ! Fé cada um tem a sua, não importa qual.
    Mas, essa igreja é meu xodó, pequenina mas gigante em força de fé.

  7. Elisa says:

    Oi Majô,
    eu acho incrível como os nossos gostos coincidem sempre. Esta sequência de passeios em Paris está perfeita e esta 3° feira então!? Não podia estar mais adequada para mim. Estou até pensando que vc escreveu só para mim, pois tem tudo que mais amo fazer: visita a loja de perfumes e cremes, paradinha para o expresso , visita a uma igreja belíssima com direito a parada para reflexão e ainda teve a visita ao mercado.

    Sinceramente, é tudo que mais gosto…
    Preciso ir a Paris novamente só para seguir a risca teu roteiro, acho que até o ônibus errado valeu a pena (rs, rs).

    Beijos querida e continue a escrever pois está uma viagem maravilhosa.

  8. Majô says:

    Elisa, é verdade que combinamos né ? É um slow travel com veia feminina😉 Entrar em loja de perfumes em Paris é um delírio. Acho fé fundamental na vida da gente, seja qual for. Quanto ao expresso não passo sem 1 por dia, e sentar num café em Paris, não tem preço😉

    Paris a gente volta, e volta…. Errar de ônibus lá é um programa.

    Obrigada pelo bate ponto aqui, rs

  9. Elisa says:

    Majô,

    eu e sei que muito anônimos é quem agradecemos pelas viagens maravilhosas que você tem nos proporcinado.
    Eu tenho certesa que este seu hooby aqui é extremamente trabalhoso e que depende de muito tempo e por isso é que te agradeço e muito esta oportunidade de poder ver viagens belas.

    Espero que você continue assim, mesmo que as vezes tenha de ter uma pausa entre um post e outro (ninguém é de ferro, né?) , mas te peço para manter-nos sempre com a “mente refrescada” com suas viagens. Para mim cada viagem ou ainda que o tema não seja exatamente sobre viagens eu me sinto renovada de ler textos tão gostosos.

    Bjs

  10. Majô says:

    Elisa, obrigada por este estímulo😉 Esta troca de energia faz bem a nós todos, a mim é gratificante poder dividir as experiências com vocês.

    Em todas as viagens faço diário num caderninho, não durmo sem anotar tudo incluindo despesas, por isto estou fazendo a de Paris, pois além de muitas fotos, acho que sempre o olhar de cada pessoa. E desta vez não fiz roteiro padrão, foi o que deu vontade.

    Espero continuar no ritmo que der, já estou preparando outro post😉
    Obrigada por seu testemunho e que bom que consigo deixar a “mente refrescada”😆
    E vamo que vamo !

  11. Emília says:

    Depois do que a Elisa escreveu aqui, nem tem mais o que comentar😆
    Eu acabei de ler o livro do Freire…que delicadeza!😳 :-D:

  12. Majô says:

    Meninas, eu vou ficar assim 😳 😳 A vida já tá difícil, temos que distrair as cabecinhas😉

    Pois é Emília, concordo que o Riq é um gentleman generoso até não poder mais, né ? Estamos todos assim😳

  13. Renato Silva says:

    Majô
    Belissima descrição de uma visita ao Orsay. É um dos pontos de passagem obrigatória quando vou a Paris, o andar dos impressionistas.
    São horas de uma viagem fantástica.
    Quanto à escultura que voce colocou sem nome, parece muito com Rodin, mas não consta do livro de obras do Rodin que eu tenho, mas creio que sejam somente as que estão no Museu de Rodin.
    Por outro lado se voce entrar no site do Museu D’Orsay e for pesquisar as esculturas, encontra 2279 esculturas, das quais uns 10% não tem foto. Tive a pachorra de percorrer as 29 paginas de fotos e não a encontrei lá.Valeu pela visita virtual !!! Pode ser que seja uma obra não pertencente ao acervo do Museu e sim emprestada para exposição temporária, quando lá voce esteve e fez a foto.Só de Rodin no D’Orsay são 93 obras catalogadas (cf site). Pode ser que pela Lei de Murphy ela seja justamente uma daquelas sem fotografia. Vou continuar a pesquisa e descobrindo lhe conto.
    Abs
    Renato

  14. Renato Silva says:

    Majô
    Corrigindo!! São 109 paginas de fotos das esculturas do D’Orsay. Pena que não vi o e-mail deles no site para fazer uma consulta. Mesmo assim fiz uma consulta pelo formulário que eles oferecem, pedindo o e-mail deles para enviar a foto anexada, crendo que eles irão nos atender com a elucidação do mistério do nome e autor da escultura.
    Abs
    Renato

  15. Majô says:

    Renato, para mim também é uma viagem fantástica !

    Obrigada pelo esforço em identificar a escultura😉 Também consultei todas as obras do site do Museu e não encontrei a danada😉 Ganhei dois livros do museu da minha amiga Renata, mas também não consta. Eu tasquei Rodin porque achei que ela tem jeito de Rodin😉 Ela era linda, imaculada no meio da sala. A penteadeira também não encontrei a referência. Como você bem diz pode ser que seja emprestada.

    Quanto trabalho você está tendo, muito obrigada, se cocê conseguir completamos, vai ser ótimo ! 😆

  16. Majô says:

    Renato,

    Copiei seus comentários para o post do Orsay, tudo bem ?

  17. […] As fotos deste post foram retiradas do blog da Majô. […]

  18. Wander says:

    Majô :
    Paz e bem :
    Estive em Paris em final de maio : antes da viagem havia lido estes bonitos posts de Paris. Preparei então uma surpresa para minha mulher, que é devota de Nossa Senhora. Seguindo suas dicas fomos na Capela da Medalha Milagrosa, sem ela saber aonde estava indo. Chegamos as 17:00 hs bem no inicio da adoração do Santissimo. Foi uma intensa emoção. Minha mulher chorou de emoção. E eu fiquei muito emocionado tambem, tanto pela visita a esta Igreja como por ter proporcionado a ela esta alegria. Obrigado pela dica da Medalha Milagrosa e por ter sido possivel estes momentos de muita fé e emoção. Grato.

  19. Majô says:

    Wander, que notícia boa ! Imagino a emoção de vocês, sendo ela devota de N.S. da Medalha Milagrosa ! Foi um verdadeiro presente para ela😉
    Só de entrar na Igreja já me emociono, e é tão discreta do lado de fora.
    Fiquei muito feliz também em saber que você passeou pelos posts de Paris antes de viajar e tirou bom proveito com essa informação.
    Volte sempre !

  20. elisa ferraz says:

    querida Majo

    eu e minha prima Aninha estamos adorando a viagem. Hoje fomos na igreja da medalha milagrosa. seguindo sua dica. Foi um excelente programa. Rezamos muito e lembrei de vc.

    N volta te escrevo mais.

    bjs
    Elisinha

  21. Majô says:

    Elisa querida, que bom que você está em Paris !!!
    Que maravilha que você foi à igreja da N.S. da Medalha Milagrosa, é uma jóia !!
    Fico muito feliz e desejo a você e sua prima uma excelente viagem🙂
    Na volta escreva por favor😉

  22. Elisa says:

    Majo,
    querida estamos na Provence, amei tudo e lembrei demais de vc;
    Na volta te conto tudo (daquele meu jeito slow de ser…);
    Beijos

  23. Majô says:

    Elisa, que maravilha estar na Provence !! Compre lavanda🙂 Aguardo seus relatos😉 Boa viagem !!

  24. Tania Janin says:

    Majô, parabéns!
    A delicadeza com que vc usa as palavras são um bálsamo.
    Ler seus posts é ir a Paris sem sair de casa, mas dá muita vontade de ir correndo pra lá.
    Em novembro farei minha primeira viagem à Paris e quero muito ir a Igreja da Medalha Milagrosa, por vários motivos. Um deles, é para comprar medalhinhas que serão colocadas nos bem-casados do casamento do meu filho. Terei que comprar muitas,rsrsrsrs. Você tem idéia de quanto custa a unidade.Dá problema na alfandega?
    Mais uma vez parabéns! Leio e anoto tudo.
    Abraços, Tania Janin

    • Majô says:

      Oi, Tania
      Que delícia ouvir isto😳 Obrigada🙂
      Na verdade, quando escrevi estes posts, era como se estivesse andando por lá, me transportei😉
      Ótima idéia sua em colocar as medalhas nos bem-casados ! As pequenas, em alumínio vinham em saquinhos, creio que com dez. Não me lembro o valor, vou ver se anotei no meu caderninho, mas não era caro. Em metal mais pesado ou niqueladas, um pouco mais caro. Na mesma rua, havia uma loja que vendia uma variedade maior de medalhas.
      Hehe, não creio que criem problema com as medalhas na alfândega.
      Obrigada pela visita, e um prazer saber que as dicas são úteis😉

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s