O Rio com as magrelas

 

Assim como as Vélibs de Paris, o Rio aproveitando os 150km de ciclovias  também adotará  a partir de novembro o sistema de bicicletas que poderão ser alugadas em vários pontos, integrando estações de metrô. As magrelas chegam mais do que na hora.

Para quem não sabe funciona assim: as bicicletas são instaladas em estações onde ficam trancadas e cada usuário com um cartão eletrônico retira  uma magrela  e usa por um tempo x. Depois ele devolve a bichinha na mesma estação ou em outra, passando de novo o cartão que retornará para um status de “Não Usado”.

Pelo que li serão oito estações instaladas em quatro pontos das orlas de Copacabana e Leme, no Parque Garota de Ipanema e nas estações de metrô Cantagalo, Siqueira Campos e Cardeal Arcoverde. A pessoa poderá reservar a bicicleta por telefone, internet ou indo até uma estação e será possível cadastrar-se para plano diário, semanal ou anual.

Segundo o projeto Samba (Solução Alternativa para Mobilidade por Bicicletas de Aluguel), criativo😉 administrado por uma empresa, a estimativa é de que em 15 meses os bairros de Ipanema, Leblon, Copacabana, Botafogo, Flamengo, Centro e Tijuca ganharão 42 estações e 500 bicicletas.

Não li sobre estações na Barra e Recreio, mas acredito que estejam incluidos.

Poderemos usar energia limpa e livrar-nos do carro em alguns percursos.

Mais ainda, pedalar pela orla, qualquer uma,  assistindo ao por do sol não tem preço 😆

  

 Só aplaudindo mesmo😉

  na Barra

 

 Pedalando na Barra.

 Os preços: a 1a hora será gratuita. Entre 31 e 60  minutos pagaremos R$3,00. De 61 até 90 min R$7,00 e R$11,00.  Entre 91 e 120 minutos R$15,00. Daí em diante R$5,00 a cada meia hora. Para aluguel diário e semanal, o cidadão paga uma inscrição de R$10,00 e R$30,00. Ah, e só para maiores de 13 anos.

Segundo o Sérgio Cabral que esteve sondando este sistema em Paris, 30% das magrelas lá foram roubadas e depenadas, mas pelo que li aqui o preço incluirá o seguro contra roubo.

20 thoughts on “O Rio com as magrelas

  1. Sylvia says:

    Anota ai Majô : depois da asa-delta-tour … magrela-tour com estacionamento no Kurt😆

  2. Majô says:

    Beleeeza Sylvia, anotadíssimo !! Ou Kurt e depois magrela-tour pra queimar as calorias:mrgreen:

  3. Carmen says:

    Majô, o meu comentário não subió.
    Eu repito.
    Eu vou a meu trabalho caminando e não preciso ir em bici, mas a minha amiga Mónica va a seu trabalho em bici. Ela dize que é muito importante a educação vial com as pessoas que caminan e com as outras bicis.
    Bonitas fotos da pòr do sol.
    Beijos

  4. Majô says:

    Carmenzita, olhei e não tem nenhum comentário preso, deve ter sido engulido pelo buraco negro do espaço😉 Vou reclamar com o wordpress grrrr

    Pois é, acho cultural. Na Alemanha usam muito bicicletas, inclusive para trajetos longos.
    Os parisienses mesmo antes das Vélibs sempre usaram suas magrelas, tanto homens como mulheres. Eu via nas ruas todos arrumados de terno ou saia nas magrelas. Amsterdam nem se fala.
    Aqui temos ciclovias abrangendo quase todos os bairros, portanto colocando estas estações será possível em alguns trajetos usar metrô-magrelas😉 Muito importante, como você diz o respeito mútuo entre bikes e andarilhos.
    Eu amo por do sol ! Faz bem pra alma🙂

  5. Jeison says:

    Olá Majô, estou querendo visitar o Cristo e vi uma dica sua sobre deixar o carro num estacionamento no Largo do Machado, vc poderia me passar o endereço desse estacionamento? Moro no interior do estado e não conheço muito bem a capital, com o endereço fica mais fácil pq é só eu digitar no meu GPS.

    Essa dica vc ainda acha a melhor? Pq o comentário q eu vi foi em 2007.

    PS: desculpa fazer essa pergunta aqui, mas não achei seu email pra entrar em contato.

    desde já agradeço

    abraço

  6. Majô says:

    Jeison,
    O Largo do Machado é uma praça grande, onde há estacionamento à sua volta, não é um estacionamento fechado. Os 2 esquemas que eu sugiro são os seguintes:

    1- Indo de metrô :
    Se estiver em algum bairro da Zona Sul, pegar o metrô nas estações: Cantagalo (perto da Lagoa) ou Siqueira Campos(Copacabana) ou Cardeal Arcoverde (Copacabana) até a estação Largo do Machado.
    http://www.metrorio.com.br/mapas.asp
    Nesta praça Largo do Machado há um ponto de ônibus de integração do Metrô – são micro-ônibus – para o Cosme Velho que sobe a R. das Laranjeiras onde está a estação do trem para o Cristo. Descer em frente à estação. Quando voltar repetir o esquema, retornado à praça.

    2 – Indo de carro:
    Chegando ao Largo do Machado estacioná-lo na praça. Pode ser que tenha que esperar um pouco por uma vaga. Por 2 horas paga-se R$2,00.
    Como expliquei acima, caminhar até o ponto de ônibus integração do Metrô para o Cosme Velho que fica na praça. Descer em frente à estação do bondinho para o Cristo.
    Na volta, pegar o mesmo ônibus de integração do metrô que descerá a rua das Laranjeiras até o Largo do Machado onde ficou estacionado o carro.

    É interessante também agregar a este programa a visita ao conjunto Casas Casadas http://www.bairrodaslaranjeiras.com.br/principal/casascasadas.shtml
    descendo um pouquinho a pé a R. das Laranjeiras. Fica uns 5 min à pé da estação do trem.

    Se tiver alguma dúvida, volte a perguntar😉

  7. Jeison says:

    Obrigado Majô, só mais uma dúvida, vc sabe me dizer o nome de uma rua q fica nessa praça ou uma rua q fique próxima? É que digitando no GPS só “Largo do Machado” não aparece nada. Assim fica mais fácil de achar [;)]

  8. Jeison says:

    fica próximo da Almirante Tamandaré, Machado de Assis, rua do catete?

  9. Majô says:

    Jeison,

    Sim, fica perto da Almte. Tamandaré, Machado de Assis e Rua do Catete.
    Coloca no GPS Praça Largo do Machado. A rua que passa em frente à Praça é a Rua do Catete. O ponto final dos ônibus integração do Metrô fica quase na esquina da Praça com a Rua do Catete.
    Nesse site você verá fotos da estação do Metrô Largo do Machado http://wwwusers.rdc.puc-rio.br/ednacunhalima/2003_2_1/lgomachado.htm

    Agora li que a Praça anteriormente chamava-se Praça Duque de Caixas.
    No google map http://wikimapia.org/#lat=-22.930861&lon=-43.178743&z=18&l=9&m=a&v=2

  10. Jeison says:

    agora eu consigo chegar então, devo ir no final do mês.

    obrigado pelas dicas.

  11. says:

    Oi, Majô! Legal o post!😀

    Eu aqui em Vermont tenho a minha “magrelinha”. Todo verão eu dou um banho nela e saio para dar umas voltinhas. A ciclovia de Burlington passa bem atrás do quintal da minha casa; é uma mão na roda pra gente. No inverno a ciclovia vira pista de cross country skiing. Eu, hein, tô fora, brrr😡

    Beijots:mrgreen:

  12. Renato Silva says:

    Oi, Majô
    O Jeison poderia aproveitar e visitar o Museu Internacional de Arte Naif que é próximo da Estação do Trem do Corcovado (não sei se o MIAN continua aberto – ouvi dizer que por falta de recursos iria abrir sob demanda), o Largo do Boticário, a Bica da Rainha e como voce disse as Casas Casadas. Ir a pé do Cosme Velho até as imediações do Palácio Guanabar (ex-propriedade do Conde d”Eu) passando pelo belo prédio do Fluminense e se for ainda em Setembro, visitando a Casa Cor que está uma beleza. Vale a pena visita-la. O foco desse ano é em decoração para lofts de 60 a 85 m2. Os arquiotetos/decoradores extravasaram toda sua criatividade.Não esquecer de dizer que a estátua na Pça ao lado da Estação do Trem pé de um seu parente, Eng Teixeira Soares. Não seja modesta!!!
    Abs
    Renato

  13. Majô says:

    Jeison,
    Se tiver outra dúvida, grita por aqui que a gente ajuda.
    O Renato deu ótimas dicas aproveitando a visita ao Cristo. Aquela é uma região muito bonita para ser percorrida a pé com casas centenárias. Portanto, se tiver disposição para voltar caminhando pode ir descobrindo um pouco mais do Rio não tão visitado.

    Zé,
    Imagino belos passeios de magrela por Burlington. Que belezura😉 É só olhar as fotos de seus posts😉 Bem, com gelo vira tobogan, né mezzzmo ? Direto pro chão. Melhor programa é ficar no quentinho em casa.

    Renato,
    Excelente roteiro !!!! Como comentei acima, Laranjeiras deve ser percorrida a pé. Belos prédios e casarios antigos. No mapa do google que linquei, http://wikimapia.org/#lat=-22.930861&lon=-43.178743&z=18&l=9&m=a&v=2 puxando à esquerda e seguindo pela R. das Laranjeiras estão marcados o Instituto dos Surdos e Mudos, cuja casa é linda e as Casas Casadas.
    Ainda há belos prédios tombados pelo IPHAN e como você disse quase chegando na Estação dos Bondinhos, a Bica da Rainha, à esquerda. Eu coloquei foto no post que fiz para o J.R. quando fomos ao Cristo, passamos por ela.
    Bela idéia sobre a visita ao Museu de Arte Naïf. O link é este http://www.museunaif.com.br/index.asp?cid=1 e pelo que li, parece que a visita tem que ser agenda como você disse.
    Quanto à visita ao Largo do Boticário que é uma pérola e tão perto da Estação do Trem, a Liciana e a Iara chegaram a entrar, mas comentaram que as casas estão mal conservadas. Quando passo de carro por ali descendo do túnel Rebouças sempre dou uma olhada e já tinha reparado isto. É uma pena que a Prefeitura não faça a manutenção daquele conjunto de casas tão bonito.
    Tentarei fazer um post com este roteiro agregado ao Cristo.
    Eu ainda não fui ao Casa Cor, está no Colégio Sacre Coeur.
    Quanto à estátua do nosso bisavô João Teixeira Soares, o vovô Guigui tá lá firme e forte, a Liciana disse que tirou foto junto à ela😉

  14. Renato Silva says:

    Majô
    Grande lembrança do Zé quanto a Burlington. Passei por lá em 2002, de carro vindo de Ny e indo para Montreal. Minha intenção era ver as folhas de outono na paisagem da região, visitar alguns interessantes museus e as famosas cervejarias- parece ser a quinta melhor cidade do mundo para se beber a lourinha. Errei na época e no dia. O inverno naquele ano chegou cedo e não pude ver a paisagem que esperava além de chegar na cidade, que me pareceu bonita , no Thanksgiving Day. Conclusão: cidade deserta, tudo fechado.Todos deviam estar em suas casa celebrandoi o dia em familia, como de costume. Voltei ao hotel, cancelei a entrada e segui viagem.
    Vai ficar para uma próxima, quem sabe de NY a Boston passandp por Burlington.
    Abs
    SS

  15. Meilin says:

    Oi, Majô,
    A última vez que eu estive no Largo do Boticário “tava meio sinistro”, pois uma das casas mais bonitas, pertencentes à uma senhorinha já meio esclerosada, foi DOADA a um grupo de sem tetos, que tirou TUDO que tinha dentro da casa (maçanetas, torneiras, telhas, vidraças, etc…) pra vender, e depois (inacreditável!!!) sublocou pra outros em teto…E o pior é que não tem argumento jurídico pra tirar o povo de lá. Uma pena, né😦

  16. Majô says:

    Renato, aquela região toda é muito bonita realmente. Meu irmão morou e estudou em New Hampshire e Boston por 5 anos. Quanto ao inverno e neve, ele dizia que é lindo para passear, mas quando você mora tem que tirar neve da porta de manhã cedo para sair, são outros quinhentos.
    O Thaksgiving Day é um dia talvez tanto ou mais celebrado do que Natal para os americanos. As famílias se reunem em peso.

    Quanto às lourinhas, quem pode falar e atestar é o Zé que é um expert😉

    Meilin, aquelas casas eram de famílias de alto poder aquisitivo. Uma delas era da Guiomar e Gustavo Magalhães que recebiam para jantares chiquérrimos que saiam nas colunas sociais. Ele morreu, não sei ela ainda mora lá, deve ter entre 80 e 90 anos.
    Eu já tinha lido no jornal que os sem teto haviam invadido uma das casas, possivelmente esta. Apesar desta senhora ter doado, acredito que seja de boca e não no papel que exige uma baita burocracia e grana para viabilizar a documentação.
    Dá dó de saber que a casa foi depenada, mas acho que tal como com as Casas Casadas que foram restauradas, a Prefeitura deveria fazer o mesmo com o Largo do Boticário. Acredito que negociando com os sem teto, poderão transferí-los para outro local.
    Vamos ver se o próximo Prefeito tem esta iniciativa. Vamos torcer !

  17. Luisa says:

    Majô, que fotos maravilhosas!! Eu vou ter que aprender a andar de bicicleta…😳

    Bjs

  18. says:

    Renato, a melhor época para se ver as folhas de Outono em Burlington, Vermont, é no começo de Outubro (Novembro, no Thanksgiving, não é uma época legal, já está frio e é bem feio porque as folhas já caíram todas e ainda por cima não tem neve (o que deixaria a paisagem um pouco mais bonita).

    Você está certo. As cervejas daqui são ótimas, mesmo! Tá servido?:mrgreen:

  19. says:

    Oi, Majô!:mrgreen:
    Beijots

  20. Majô says:

    Luisa, eu vou ter que aprender também😉 embora digam que a gente não esquece🙄
    Bom ter ver por aqui😉

    Oi, Zé bom te ver por aqui também 8)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s