Filé no Globo

 dscn5106-3

Ontem  à noite,  levo o suplento Boa Viagem do jornal  Globo para ler antes de dormir, e eis que topo  com um especial de Ricardo Freire  sobre as vantagens de se Relaxar à beira-mar fora do alto verão.  Adorei !! Imagino que o  povo  do Rio deva ter lido ;)  O texto como sempre delicioso de ler e com preciosas  dicas  para aproveitarmos os vários feriados que virão por aí.

 dscn5109

Eis o texto que copiei letrinha por letrinha do jornal, já que não consegui fazer o copy/paste do site do OGlobo.

Ricardo Freire – Especial para OGLOBO

Rosa Passos tem uma linda canção chamada “Dunas”, em parceria com Fernando Oliveira, que começa assim: “Mês de março em Salvador/O verão está no fim…..”

Antes de mais nada, e isso pode ser um choque para muita gente: o verão no Nordeste tem um fim. Março é talvez o último mês com predominância de tempo firme na Costa Leste da região, do Norte da Bahia à Paraíba. Na Costa Norte (Rio Grande do Norte ao Maranhão) já começou a “invernar” no carnaval, o que é normal. O pior das chuvas no Ceará e na Costa Norte vem mais cedo, entre março e maio. Na costa Leste, maio e junho costumam ser os meses mais chuvosos.

Isso quer dizer que não dá para ir ao Nordeste no  primeiro semestre ? Claro que dá – só é preciso ir com outra  mentalidade. Normalmente chove e faz sol todos os dias, então dá para aproveitar,  sim. O segredo de curtir o Nordeste na baixa é não programar essas viagens de passeios e mais passeios, de acordar cedo para esperar o ônibus para esperar o ônibus do receptivo passar e te levar para algum lugar onde você pode passar meio dia na chuva. O negócio é ir para…. deeeeeeessss-can-saaaaaaar,

É a hora de arranjar uma pousada pé-na-areia ( já se diz “pe-na-areia no Riiioo? , levar livros ( e se possível, um cobertor de orelha) e vigiar o tempo de esguelha: estiou, hora de ir para praia. É perfeito para quem está precisando mais de um relax do que de um bronze.

As vantagens:  você encontra os preços baixos e acaba se sentindo dono da pousada e da praia (fora das capitais e dos feriados, vai estar tudo bem vazio). É ideal para um replay low cost de lua de mel: deixe as crianças nos avós ou nos compadres, torre milhas e vá namorar, sem obrigação d sair de buggy, rodar em duna ou ver piscina natural. Um ótimo lugar para esse far niente são as praias da Rota Ecológica alagoana, entre Japaratinga e São Miguel dos Milagres, que têm pousadas confortáveis e com excelente comida  para todos os bolsos.

Para pegar a baixa temporada no Nordeste em condições ideais de tempo, o melhor é ir em outubro ou novembro, quando faz sol do Norte da Bahia ao Maranhão e o mar já está azulzinho de novo.

Agora vamos olhar para a outra extremidade do mapa. Março e abril marcam os melhores  meses do ano para ir a …. Santa Catarina ! O outono catarinense é consideravelmente mais seco do que o verão. Você não está livre de pegar uma frente fria made in Argentina, mas é muito provável que pegue mais dias firmes do que quem foi para lá em janeiro. Pegar praia em Floripa sem engarrafamento é um luxo !  Bombinhas sem gente é outra história. Vale a pena descer de carro: com exceção de 50 km em território paulista, a estrada é toda duplicada até Floripa.

E no Sudeste ?

É uma das ironias de São Pedro: quando começa o outono e a maioria das pessoas para de pensar em praia é quando o tempo fica mais  firme. De novo: frentes frias acontecem, mas entre abril e  junho são menos numerosas e mais rápidas do que as da primavera ou do verão. É uma época perfeita para descobrir as praias de Arraial do Cabo, o mar transparente e areia branco-total-radiante, sem multidões. E Búzios ? Ir para lá de segunda a quinta-feira na baixa temporada é a chance de encontrar a Azeda vazia do jeito que foi vista por Bardot, na outra encarnação.

O litoral da Rio-Santos, então, tem no outono o seu prime-time, com mais dias ensolarados do que em qualquer outra época do ano. Ilha Grande com tempo bom e sem multidões. Praia do Dentista, em Angra, sem farofa de rico… Paraty antes da Flip ! No lado paulista, as praias vão estar tão vazias que às vêzes, você vai precisar se informar nas pousadas onde está o restaurante aberto mais próximo. Aproveite para se hospedar em Picinguaba, o único dos vilarejos de pescadores da Rio-Santos que não foi descaracterizado. A praia em si não é cinco estrelas (talvez por isso a vila tenha sido preservada), mas as pousadas são gostosas, a vista da baía  é deslumbrante, você tem todas as praias da Costa Norte de Ubatuba (lindas !) para explorar.

Fianlmente, de maio a julho é uma ótima época para passear pela região de Porto Seguro. Existe um mito de que essa é a época das chuvas por lá, mas o clima segue o do Sudeste:  está sujeito a frentes frias, mas é geralmente seco. Os dias são um pouco mais curtos e as noites são fresquinhas, mas o movimento é tão baixo que muitas pousadas fecham. Dá para curtir Arraial d’Ajuda sem muvuca excessiva, e para ver Trancoso sem esnobes por perto. Se a meteorologia der certeza de tempo bom, você tira dois dias de rei na Praia do Espelho. Outra vantagem da baixa temporada: dá para  decidir tudo na hora. Há vagas para onde quer que você olhe. E todo mundo se dispõe a negociar.

____________________________________________

Ricardo Freire é gaucho, mora em São Paulo e viajou pelo litoral para escrever “‘100 praias que valem a viagem”

O trecho que abre a matéria da Ana Lúcia Borges:  ” Para ensinar a curtir a baixa temporada à beira-mar por aqui, contamos com a colaboração do praieiro experiente e viajante tarimbado Ricardo Freire, autor do guia online Freire’s www.freires.com.br e do blog Viaje na Viagem. No fim do ano, ele lançou o livro “100 praias que valem a viagem” (Editora Globo), que esmiúça o litoral brasileiro de Norte (Pará) a Sul (Rio Grande do Sul), apresentando as cem enseadas do título e outras 300 em seus arredore. O critério de classificação é geográfico, e a avaliação, medida em chinelinhos de dedo (três sandálias são a cotação máxima).

O livro não escapa de paraisos clássicos, como as belas praias do Sancho, em Noronha (como fugir ?), e Lopes Mendes, em Ilha Grande, aqui perto. Mas, revela doces surpresas, como a Praia do Saco, em Sergipe, detentora de dois chinelinhos. A Bahia, por ter o trecho de litoral mais extenso,é o estado que mais figura no guia. Na semana passada, a caminho de São Paulo, onde mora, depois de um mês e pouco muito bem aproveitado no litoral azul-bebê de Alagoas, Freire preparou para nós um roteiro prático de como aproveitar o período de praias menos lotadas  (de gente e de cifrões). Veja nas próximas. “

capa

24 thoughts on “Filé no Globo

  1. Cristina says:

    Vc não existe!!! Que ótimo trabalho para quem não é do Rio ou não tem Globo!

    Eu li de manhã mas não tive tempo de comentar durante o dia e a noite esqueci! (envergonhada) Eu viajo toda quinta com esse caderno no café da manhã – foi bom ser com o Riq desta vez!!!

  2. Majô says:

    Cristina, eu só tive tempo de ler o jornal à noite, tardão. Quando dei de cara com essa matéria no Globo, fiquei tão feliz que levantei, abri o computador de novo e comecei a fazer o post😉 Foi ótimo ver o Riq no Rio😆

  3. Mari Campos says:

    Majozinha, só vc mesmo pra copiar tintim por tintim a matéria!!! A Cris tem razão: vc não existe!😆

  4. Sylvia says:

    Graaande Majô !! Coloquei o link lá no VnV🙂

  5. Malu says:

    Demais MM (Maravilhosa Majô). Só vc para lembrar de nós, que não moramos no Rio e/ou não compramos O Globo. Muito oportuna essa matéria do Riq. Parabéns tb. para a Sylvia que colocou o aviso lá no VnV.

  6. CarlaZ says:

    Também li ontem de noite. Já tinha ido dormir quando lembrei do Boa Viagem que queria ler a matéria de Abrolhos…e lá dei de cara com matéria do Riq. Ótimo não?
    Já tinha comentado no VnV mas foi muito bom ter colocado aqui Majô. Mas você copiou mesmo??? Nooossa!!!

  7. MAJÔ eu li foi de manhã, ‘as sete e meia, antes de ir pro trabalho, no cafá da manhã. Fui folheando e achei ” estranho” reconhecer fotos do Riq na Revista de Viagens do Rio.

    Aí fui buscar autoria do texo, tava lá. Achei bacana pra caramba. Mais um caminho aberto pro Riq, né?

    Bem, isso é porque os livros dele foram lançados pela Editora Globo e porque ele escreve para a Revista Épocada Globo. Seria bacana se O Globo pusesse uma coluna mensal do Riq nesssa revista, não?

    E ele cita a Rosa Passos, que é quase desconhecida, e que eu conheço há uns 15 anos, cujo trecho da letra mencionada é de uma música deliciosa de um CD fabuloso.

    Grande matéria, grande trabalho seu. Parabéns

    NOTA: minha dica é tentar escanear e editar o texto em OCR.

  8. Riq says:

    Majozinha! Que surpresa! Merci! E eu tentando ficar na moita😳 O texto ficou assim, ahn, superespontâneo porque na verdade era um email respondendo à pergunta das editoras sobre curtir praia na baixa temporada. Só que elas gostaram e perguntaram se podiam publicar. Acho que podia, né? Beijos!

  9. Majô says:

    Mari, Sylvia, Malu😆 😆 😆

    CarlaZ, copiei pra fazer uma surpresinha pro comandante😉

    Arnaldo, essa hora eu saio voando para o trabalho, li as manchetes, mas só à noite li com mais calma. Fiquei tão feliz em ver a matéria “a cara do Riq” aqui no Rio, o Globo enriqueceu. Também acho que o Globo marcaria um gol de placa se tivesse Ricardo Freire como colunista semanal !!!
    Confesso que conheci a Rosa Passos pelo Riq.
    Eu tirei essas fotos correndo, não ficaram boas, mas dá pra ter uma idéia😉 Depois tiro melhores.
    Não sei o que é editar o texto em OCR🙄

    Riquizinho, você é tão low profile que não fez da matéria um momento Tommy😉
    Como sempre seus textos superestpontâneos são um primor🙂
    Isso tudo é a sua cara ; Claaaaro que podia, foi um presente para o Rio ter sua matéria no Globo desta semana😉

  10. Angela Bruno says:

    Oi, Majô,

    Também li. Quando comecei, pensei: nossa, é dessa maneira que o Riq escreve! Como assim?!?!? Aí, fui verificar e concluí que eram palavras dele mesmo.
    Seria ótimo lermos o Riq semanalmente na Revista… Quem sabe?
    Parabéns pelo seu trabalhão em copiar. Bjs.

  11. Eduardo Luz says:

    Muito bom ! Logo, logo teremos que incluir o salário de uma secretária nas despesas do condomínio !
    Abs.

  12. Eduardo Luz says:

    Tá vendo! E terá que ser uma boa revisora : é “muito” !!

  13. Júlio says:

    Agora, dia 8 de março, quero te desejar sinceramente um grande, belo e lindo dia da mulher.Vc merece.Parabéns.
    Júlio

  14. eduluz says:

    Dei uma lida agora no comentário e não é que errei de novo : “terá que ser uma boa revisora”. Ponto final (espero) . rs Abs

  15. Majô says:

    Angela, o Riq tem uma marca inconfundível mesmo😉 Os Marinho deviam contratar JÁ, Ricardo Freire como colunista do Globo😆

    Hehe Edu, começa a se delinear uma infra-estrutura do Condomínio:mrgreen:

    Júlio, muito obrigada pela lembrança e votos 😳 😆 Você andava sumido😉

    Edu, vou lá consertar😉

  16. Carmen says:

    Seguro que o texto do Ricardo é excelente. Ele é um bom “turista professional” e um artista dos viagens interessantes!!!
    (Majô você é muito rápida!!! um forte abraço)

  17. Zayra says:

    Chovendo no molhado: Majô, você é inacreditável!🙂
    Aproveito para desejar um Feliz Dia da Mulher para todas as tripulantes! beijinhos!

  18. Elisa says:

    querida,
    as palavras que te escrevi no orkut para o dia das mulheres não são minhas (é da minha amiga Fátima, que tb é sua leitora só que anônima), mas este teu post aqui retrata bem o que eu quis dizer: Você faz a diferença!
    E aqui está a prova, vc quis fazer uma surpresa ao comandante e quem saiu no “lucro” fomos nós que não moramos no Rio e/ou não temos assinatura de O Globo.
    Obrigada por nos proporcionar o prazer de ler este texto, como sempre, muito bom do Ricardo Freire.

    Beijos.

  19. Renata Vieira says:

    Desculpe, mas parece ter havido um errinho, no trecho abaixo:

    …. Santa Catarina ! O outono catarinense é consideravelmente mais seco do que o verão. Você está livre de pegar uma frente fria made in Argentina, mas é muito provável que pegue mais dias firmes do que quem foi para lá em janeiro. Pegar praia em Floripa sem engarrafamento é um luxo !

    Será que faltou um NÃO (que faz diferença):

    …. Santa Catarina ! O outono catarinense é consideravelmente mais seco do que o verão. Você NÃO está livre de pegar uma frente fria made in Argentina, mas é muito provável que pegue mais dias firmes do que quem foi para lá em janeiro. Pegar praia em Floripa sem engarrafamento é um luxo !

  20. travelwithmia says:

    O Riq para variar nos dando dicas quentíssimas e acertadíssimas🙂
    Bjs

  21. Majô says:

    Carmen, os textos do Riq são de utilidade pública, fora que calibram nosso bom humor😉

    Zayra,😳
    Obrigada, feliz Dia da Mulher para nós todas batalhadoras, né ?

    Elisa,😳 obrigada eu pelas leitoras falantes e silenciosas como a Fernanda 😆 😆
    Como eu disse à Carmen, esse texto, como em geral todos os de Ricardo Freire são de utilidade pública🙂

    Renata Vieira, estou sem o suplemento comigo agora, mas com certeza falta o não, obrigada pela correção🙂

    travelwithmia, essas dicas foram preciosas com tantos feriados que virão neste semestre😉

  22. vera says:

    dilicia ! como diz o querido riq
    obs, vera

  23. Majô says:

    Vera, nada como o vocabulário Riquiano pra expressar o sabor de seu texto😉

  24. por que o mundo acaba

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s