Bora pra Itacaré com a CarlaZ

Bom, quando a Majô me perguntou se eu queria escrever sobre Itacaré fiquei pensando pensando…e então lembrei que o grande lance da nossa “seita “ é sim essa troca de informações, então nada mais justo do que levar vocês para Itacaré também!!!
 
Viagem sempre começa com aquele planejamento lugar-dinheiro-tempo, queria viajar no Carnaval por ter tempo e queria gastar minhas milhas, economizando dinheiro, só faltava o lugar. Primeiro pensei em ir para Los Roques afinal a propaganda no VnV é grande, mas fiz uma confusão com as datas e não consegui as milhas pra lá, então fui na loja da Varig/Gol no Santos Dumont e perguntei: Tem pra onde? O mocinho respondeu Ilhéus e o destino foi escolhido: Itacaré. E o melhor com vôos diretos Rio-Ilhéus e Ilhéus-Rio.
 
Foi uma ótima escolha, afinal Itacaré é um ótimo destino pra gente de todos os tipos, afinal lá tem o povo surfista, mochileiro, tem os grandes resorts, tem uma night na praia, trilhas, cachoeiras e as praias é claro! Por isso é considerado um dos grandes destinos de ecoturismo do Brasil. Só não tinha Carnaval…mas se eu quisesse Carnaval teria ficado no Rio!!! Mesmo assim ainda deu pra curtir bastante os bloquinhos antes de viajar hehehe
 
Com o destino escolhido o próximo passo foi dar uma olhada no livro  de praias do Riq e na internet e assim começar a estudar Itacaré e escolher pousada, transporte, passeios etc. Já vi que ia gostar…que tinha muita coisa pra fazer…só não esperava tanta! Não consegui fazer nem metade dos passeios, e percebi que precisava de mais tempo por lá.
 
Não queria ficar nos resorts pela distância da cidade (isso é só uma desculpa, não podia ficar pelos preços!!!) e acabei escolhendo uma pousada que amei, a Burundanga. Não achei barata não, mas também era Carnaval. A pousada é uma graça, o quarto era bem bom e o café-da-manhã uma delícia ! Fora que tinha um lanchinho à tarde que eu adorava, bolo (na verdade bolos variados) com café.
 
De Ilhéus a Itacaré é uma estrada de 65km, muito fácil e bem sinalizada. Em frente ao aeroporto tem várias locadoras de carro, mas é melhor já ir com uma reservada. Não lembro o nome da que aluguei, mas também não recomendo. Na dúvida, acabei alugando carro para todos os dias, teria que fazer de qualquer jeito ida e volta do aeroporto e daria mais liberdade. Foi uma boa escolha. Não precisei de passeios para as praias mais distantes e como choveu todos os dias e lá as ruas são de terra, ficou uma lama só! O carro me salvou!
 

foto-1
Estrada Itadaré-Ilhéus
 
Já os passeios, vi tudo que podia daqui, só pra conhecer, e chegar na hora e escolher. Como sei que não gosto de grupo, excursão essas coisas, sabia que ia tentar fazer as coisas o mais sozinha possível.
 
Chegou o dia da viagem e se eu falar a burrada que eu fiz com os vôos, o Riq me descredencia do VnV e queima meu pin de boia. O que posso falar é que consegui chegar em Ilhéus, umas 2 horinhas depois do esperado, mas cheguei, ufa! Passei por uma mega festa no aeroporto (é, tem gente que comemora aniversário no aeroporto, vai entender…), peguei o carro e me mandei.
 
A pousada é super bem localizada, podendo ir a pé para o centrinho e para as “praias urbanas”. É na praia da Concha, que a verdade é que não gostei não, pelo menos não no Carnaval, mas que tem no canto esquerdo uma dessas barracas de praia (Maré Alta da Luzitânia) que comi uma moqueca muito boa, e depois fui ver o por-do-sol nas pedras ao lado.
 
foto-2

 Praia da Concha

foto-31
  
O que eles chamam de praias urbanas são as praias que podemos ir a pé do centrinho, que são na ordem Resende, Tiririca, Costa e Ribeira. A Ribeira era um inferno de gente, música…passei longe…Já Tiririca adorei! Tem uma barraca de praia bem charmosa mais pra cima e em baixo aluguei barraca, cadeira e relaxei! É a praia dos surfistas. Resende e Costa têm menos estrutura e mesmo no Carnaval não tinha ninguém! Essas praias são uma em seguida da outra, separadas por paredões de pedras e pela quantidade de gente que tinha nas pedras acho que dá pra ir de uma pra outra pelas pedras.
 
 
Chegando na praia da Ribeira, à direita sai uma trilha para a Prainha, que é considerada a praia mais bonita de Itacaré. Está em uma propriedade particular e é cercada de morros cobertos pela mata, com muitos coqueiros chagando até a areia. Pra chegar até lá, todos recomendam contratar um guia pois a trilha tem bifurcações. Fui sem guia, apenas vendo nas bifurcações qual lado estava mais “gasto” e também não é tão difícil assim se perder, afinal, pelo menos no Carnaval, tinham 5 pontos com pessoas vendendo água. Fiquei chocada quando vi na primeira vez barraquinha de água numa trilha! E depois mais 4!!!
 
 
Saí de casa com um dia mais ou menos, mas quando cheguei na praia uma chuva começou a se armar, e eu peguei praia com chuva! Deixei minha mochila e meu tênis em baixo de uma barraca emprestada de alguém e fiquei na chuva, mergulhei na chuva, conheci gente na chuva e esperei ela acabar. O tempo não ficou bom mesmo não, e eu só pensava na trilha/lama da volta…Mas foi tranqüilo voltar, o engraçado era ver o povo descendo pra praia e escorregando na lama….dei graçasadeus por ter ido de tênis!
 
Só não posso deixar de falar uma coisa…o tempo durante a viagem não estava 100%. Foram dois dias de sol sim, mas também dois dias de tempo mais ou menos e chuva. Pelo menos não deixei de fazer nenhum programa e sempre que saí do hotel o tempo estava bom e assim não atrapalhava a programação. O pior é que meu grande dia de sol foi o dia do rafting…que nem precisava…mas até parece que não me acostumei…aonde eu vou chove! É sempre assim…
 
As outras praias, que são mais afastadas do centrinho só da pra chegar de carro, ou com passeio das operadoras da região. Foi fácil descobrir onde eram as praias pela quantidade de carros estacionados na entrada das trilhas das praias, mas para ajudar dei uma pesquisadinha e a informação que consegui é quilômetro 12 da BA-001.
Para chegar é preciso fazer uma trilha bem tranqüila de uns 20-30 minutos, pela mata. É praia de surfistas, mas tem um riozinho no fundo também. Passei um delicioso final de tarde lá.
 
foto-6

 Trilha para Havaizinho
 
No início da trilha da Engenhoca, a direita tem mais um trilhazinha pra praia do Havaizinho, que eu adorei!!! É pequena, cheia de coqueiros e cercada de pedras. Quando cheguei lá não tinha quase ninguém (acho que 2 familias) a água não estava brava (aquele estilo Geribá…com aquelas ondinhas o tempo todo), não tinha chovido e eu aproveitei muito. Fora que lá tinha uma tapioca deliciosa e eu tomei um daqueles cocos que a Lena já falou por aqui. Também fiquei surpresa quando vi, e o mocinho que vendia me contou que eles cortavam a casca do coco pra diminuir o peso, afinal eles tem que pegar trilha todos os dias carregados. Boa. Achei o máximo. E ele também falou que dava pra chegar até Itacarezinho (outra praia) de trilha, então bora!

foto-7
   Havaizinho

foto-8
 Trilha pra Itacarezinho
 
No caminho para Itacarezinho tem a praia de Camboinha e depois Itacarezinho. As trilhas são bem fáceis, marcadinhas, mas se chover (meu caso) fica bem escorregadia. Estava de chinelo e agora, daqui pra frente, trilha só de tênis! Não entendi porque se chama Itacarezinho, é enorme! Lá tem uma estruturazinha de barracas de praia também. E chegando a praia, pelo alto percebi 2 coisas: estava bem cheia e ia chover! Olhei toda aquela faixa de areia e pensei logo em andar tudo aquilo e fui, depois descobri: 3,5km! E ainda tive que voltar, alias não só essa praia como a trilha toda e depois da chuva. Ótimo. O engraçado é que eu não peguei chuva, na verdade um pouquiinho de nada, como estava andando atravessei a chuva e continuei andando, e na volta a chuva já tinha passado. Para quem vai de carro é a 15km de Itacaré.

foto-91
 Itacarezinho

A praia que deixei pra próxima, afinal tenho que ter motivo pra voltar, é Jeribucaçu. O acesso é no quilometro 8 da BA-001. Também é point de surfistas e dizem que a trilha pra lá é bem legal, na verdade tem mais de uma trilha sendo que uma delas é pela mata e passa pela cachoeira da Usina, que tem uma piscina natural. Uma menina que conheci lá falou que se sentiu em um programa de aventuras.
 
Em falar em cachoeiras…tem também a Tijuípe,que tem uma piscina natural. É em uma propriedade particular e se paga pra entrar, trilha leve até a cachoeira e tem um restaurante. Também se chega lá de carro, 15 km de Itacaré.
 
O outro passeio que nunca tinha feito era o rafting. Andando pelo centrinho de Itacaré percebi que tinha uma operadora, a Planeta Rafting, que domina, todas as agências vendiam o rafting deles, então não tive muita escolha. O passeio incluía o transporte até Taboquinhas, cidade de onde é feito o rafting. Falaram que só se chegava lá de 4×4 e que não conseguiria fechar na hora o passeio. Besteira, dá pra ir com qualquer carro e lá a oferta de operadoras é maior, poderia ter feito com outra sem ser a Planeta Rafting.
Eu adorei! Fiquei com medo o tempo todo mas acabei gostando, mesmo tensa. Ainda bem que eu não cai, meu bote não virou ou então ficaria em pânico. O grupo de meu bote era ótimo, ainda bem, eles até me mandaram as fotos, que não comprei…E Nordeste é muito bom mesmo, até a água do rio é quente!

foto-10
Rafting no rio das Contas
 
O problema foi que eles marcaram pra muita gente e saímos em 8 botes, ou seja, sempre tínhamos que esperar todos, porque só tinha 1 fotógrafo ! E nós descíamos o rio e ele ia pela mata! No final ainda tinha uma tirolesa (que também teve problema por ter muita gente, mas a gente pula essa parte e pensa…é Carnaval).
 

foto-11
Olha como  estava cheio!
 
O centrinho era aquele clássico de cidadezinha de praia, uma rua com restaurantes, bares, lojinhas, pousadas, artesanato, agências de turismo, eu sempre chamo de rua das pedras, em qualquer lugar, mas lá é a Pituba. Todos os dias a noite ia lá dar uma voltinha e bater ponto no Caixa 2, um bar com música ao vivo que por acaso cai no primeiro dia e acabei indo todos os dias!
                                                                                          
O outro point diário era a tapiocaria da Isa (em frente ao Espaço Brasil, numa entradinha de estacionamento). Vou confessar uma das minhas maluquices: tenho uma regrinha de só comer tapioca no nordeste, pra não perder a graça, então como todos os dias quando estou no nordeste.
 
Os outros restaurantes que fui pelo centrinho foram a pizzaria Boca do Forno (que é super recomendada),  O Restaurante  (sim é esse o nome e almocei todos os dias lá) e Mistura Fina (que demorou horrores, mas a comida era ótima).
 
Achei a comida barata de um modo geral, não baraaaata, mas preço bom. Os pratos são muito bem servidos e da pra dividir mole por dois e bobeando ate por 3.
 
Como já disse antes, fui já pensando em voltar, isso que é viagem boa.
 
Valeu Majô!!!

24 thoughts on “Bora pra Itacaré com a CarlaZ

  1. Camila says:

    Carla, você já tá ficando de casa, hein! Agora a sua desculpa de que não tira fotos boas e não escreve bem já não cola mais!😉

    Bem que você já tinha falado que sempre chove nas suas viagens, agora tô vendo que não era exagero… Não vou querer viajar com vc!!! hehe

    Eu fico querendo conhecer outras praias fora da Bahia, explorar mais o Nordeste, mas agora tem Itacaré na listinha….

    Beijos!

  2. CarlaZ says:

    Majô,
    só agora que vi que estou aqui no condomínio de novo!!!
    Valeu!!!

    Camila,
    vou escrevendo por aqui por enquanto…a Majô deixa mesmo hehehe
    Itacaré é bem legal…pode ir sim!!!
    É a chuva me persegue mesmo…é uma coisa…

    Beijos

  3. Cristina says:

    CarlaZ, depois só eu que viajo tanto hein rsrs! Mais um post aqui, parabéns! Mas eu só vou ler qdo voltar de Salvador!!! Ainda não fiz a mala. Continuo na Bahia qdo eu voltar😉 (trabalho, trabalho mais um pouco de lazer nao faz mal a ninguem antes ne?)

  4. Carla says:

    Majô, isso aqui tá uma delícia – cada dia um destino diferente, um “blogueiro” diferente…😉

    Carlinha, eu às vezes sou meio perseguida pela chuva também – será que é do nome?😳 Peguei chuva na Ilha do Mel, em Punta del Este, em Arraial d’Ajuda… Mas o importante é não deixar de aproveitar!!!

  5. eduluz says:

    Majô, o condomínio não para de crescer( e esta já é moradora antiga).
    Quanto a chuva, eu já aprendi a aproveitar da melhor maneira possível. O melhor dia da viagem à Toscana foi em Chianti com chuva o dia todo.
    CarlaZ, parabéns pelo belo relato.

    Abs a todos.

  6. […] Depois de blogar sobre Buenos Aires e Patagônia em dezembro, a nossa Carla Z. volta ao Filigrana, da Majô, para relatar o seu carnaval em Itacaré. […]

  7. Majô says:

    Carlinha, eu também tâ adorando😉 Esses condôminos só trazem coisa boa😆

    Edu, pois é, os antigos já têm servidão:mrgreen:

  8. sylvialemos says:

    Menina , que maravilha !! Itacaré está em cima da minha listinha😆
    salvei o link , mas sacumé , pra garantir já copiei e colei no word😎

  9. CarlaZ says:

    Majô,
    Tô chique, fui mencionada no VnV hehehe

    Cristina depois conta de Salvador, mas estou mais curiosa com outra viagem…

    Edu, esse condomínio está ótimo mesmo, não? Também já aprendi a aproveitar tudo com chuva…o que podemos fazer?

    É Carla…será que é do nome…eu peguei chuva em todas as viagens mesmo…só dei sorte em Londres e em Ushuaia, virava neve hehehe

    Sylvia, adorei saber que vem ao Rio de novo…e dessa vez vou estar junto!!!

  10. aturistaacidental says:

    Carla, adorei a tua viagem, Itacaré é um lugar certo na nossa lista. E só para constar, uma amiga minha foi para lá e também pegou tempo nublado e alguma chuvinha quase que a semana inteira. Deve ser uma região difícil de se acertar com o tempo.
    E estou com as meninas, super fotos!😀

  11. Majô says:

    CarlaZ, você está de popstar 😆 😆
    Daqui a pouco teremos novo blog, aposto :mrgreen: Como diz o guru, blog você ainda vai ter um😉

  12. Dani G. says:

    Eu amo a Bahia = fato !

  13. Carmen says:

    que saudade! eu sento uma verdadeira saudade brasileira!!!

  14. Paula* says:

    Majô, vc sempre recebendo os amigos tão bem! Adoro como vc abre espaço para os tripulantes contarem suas experiências aqui!😉

    Calinha Z…adorei seu “post”! Está muito bacana! Já foi para os meus favoritos, pios em janeiro é pra lá que eu quero ir com as minhas meninas e maridão! Veio bem a tempo esse relato.😉

  15. CarlaZ says:

    Meninas,
    adorei a visita de todas vocês e super recomendo Itacaré!!!

  16. Majô says:

    Paula*, hehe tá ficando bom😉

  17. Carla!!!

    Definitivamente vc está contratada!!!!
    Se ainda não existe uma admissão de blogueira ao mundo virtual, eu acabei de criá-la!!! Menina, tô abismada com seu post, nas riquesas das informações, as fotos, tudo! Chega de falar que vc prefere ler, que a gente sabe que você sabe escrever também, e muito bem por sinal!!!

    Já ouvi muito sobre Itacaré, e é uma das minhas vontades brasileiras… aliás tudo lá pra cima é muito bom, e cada vez que alguém vai e DESCREVE, só atiçam as bichas dos que ficam (as minhas já viraram anacondas).😉
    Adorei Carlinha… agora vê se da proxima vez, faz umas fotinhas mergulhando… hehehehe.

    Majô, mais uma vez parabéns pela iniciativa… acho que eu estou te devendo algumas visitas no blog né… sorry! Prometo vir mais vezes por aqui.

    Beijos Meninas

  18. CarlaZ says:

    Paula, tinha muita criança por lá mesmo…

    Majô, está tão legal aqui…

    Carol, você está sempre me incentivando…e me deixando até com vergoinha😳 Ainda bem que veio aqui!!!😉

    Beijos a todos

  19. Cristina says:

    Voltei de Salvador hoje e ja voltei para Itacaré. Vou dizer o que ouço qdo alguem comenta o que eu escrevo (nos livros): parece que to vendo vc falando, CarlaZ!!! Esse seu estilo garota carioca suingue sangue bom é muito bom de ler!!! Adorei! Quero ir!!! (Acho que vou salvar no word tb, Sylvia…). Chorei de rir com sua auto-critica de ser excomungada do VnV por conta de erro na viagem, mas agora fiquei curiosa rsrsrs ….

    Mas vamos aplicar uma neurolinguistica no texto?😉 Diga “sempre chovia nas minhas viagens.” Repete o mantra🙂 Eh o que eu tento fazer com meus problemas de passar mal em viagem por conta de comida (que minha gastro não leia isso) – mas passei o domingo a noite mal no Pestana do Rio Vermelho por conta de uma carne de sol em espeto na barraca Marguerita da Praia do Flamengo – a barraca é ótima, mar quentinho e com piscinas, música com DJ, bem frequentada e de quebra vc ainda conhece essa praia mencionada na música do Chiclete. Recomendo – só não coma o espetinho de carne de sol se vc for sensível nesses assuntos (meu amigo não passou mal).

    Falando de Salvador enquanto outra viagem nao vem, Carlinha… sol todos os dias! Sabado caminhei da Pituba até o Jardim de Allah e mergulhei um pouco depois – vimos um ônibus na areia, não entendi nada, pensei, que estranho um ônibus na areia, como ele parou lá? Meu amigo achou que era coisa de surfista. Infelizmente, um acidente onde uma pessoa morreu, o onibus desgovernado passou por cima de um carro e foi parar na areia. Eh, CarlaZ, eu cheguei em Roma no dia que o Papa morreu, fui ao Universal Studios em Los Angeles 2 semanas antes dele pegar fogo, cheguei na praia minutos antes desse acidente…pelo menos houve cessar fogo qdo cheguei no Cairo em Janeiro! Acho melhor chover he he

    Para noite, assisti 2 shows de banda de rock no Pub Leopoldina, que tem sido a alternativa dos jovens em torno dos 30 depois que o Twist, que eu nao cheguei a conhecer, ficou lotado demais. A 1a banda era boa, a 2a… a gente preferiu sair mais cedo para aproveitar o dia na praia (ainda que o dia do aniversário de Salvador eu tenha ficado de cama lá!)

    Majô, edição de primeira hein! Essa menina é organizada, não dá tanto trabalho como a Mestre em Desorganização e Planejamento que tecla, ne? he he

  20. tetelacerda says:

    tenho otimas lembrancas de Itacare! com certeza voltarei!

  21. CarlaZ says:

    Cristina,

    adorei seu mega comentário!!! Ainda mais contando da sua viagem a Salvador…sabe que já fui nessa praia do Flamengo numa barraca muito boa que comi de tudo hehehe

    Fui mais organizada porque já é a segunda vez, e porque a Majô me contou do trabalho que você deu 😉 (brincadeira).

    Vai pra lá sim…muito bom!!!

    Depois te mando e-mail contando minhas falhas hehehe

    Beijos

    Tetelacerda,

    também já quero voltar…

  22. TAVINHO TEIXEIRA says:

    Carla, gostei muito de suas dicas, andei contactando a pousada Shanbhala em Itacaré para passarmos o reveillon, a pousada fica na margem do rio de contas, gostaria de saber se vc conhece essa pousada, se a praia fica muito distante dela, se vale a pena a própria praia, se o rio da pra mergulhar etc etc. somos um grupo de 15 pessoas entre adultos e crianças. um abraço, boa sorte, valeu

  23. CarlaZ says:

    Ih Tavinho não conheço essa pousada não e pelo que lembro o rio das Contas atravessa uma área bem grande então sendo as margens do rio não dá uma boa idéia de localização.
    O rio chega até a praia das conchas que é o lugar que tem a maioria das pousadas, mas não sei se é por aonde é.
    Desculpa, queria ajudar…

  24. […] A única atividade que nos interessava era o rafting, mas infelizmente a falta de dinheiro (sempre ele) inviabilizou a aventura. Não tem problema, afinal fizemos nosso batismo no rafting foi nas águas do rio Ganges, na Índia, e vamos concordar que isso foi muito mais interessante. Agora, já iniciado na arte de descer rios em botes, prometo que vou fazer rafting quando voltar em Itacaré. Por enquanto quem quiser saber como é a experiência pode ler o relato da Carla, no blog da Majô. […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s