Indo a Gand em missão de família

Para quem acompanha o blog, lembrará  deste post Indo à Diest em missão de família,  onde conto a história de nosso bisavô Louis Cruls, belga, astrônomo,  e seu trabalho na Comissão Exploradora do Planalto Central em 1892, chefiando um grupo de 21 pessoas entre pesquisadores e de apoio com 9,6 toneladas de equipamentos, a Missão Cruls, aqui. No site do astrônomo Ronaldo Mourão aqui, há vários posts, é só clicar em Missão Cruls: Fotos, Comissão Exploradora do Planalto Central (1892-1893), Diretor do Imperial Observatório, Louis Ferdinand Cruls e outros.

Nesta viagem à Paris em 2006, Bia e eu fomos à Bélgica e chegamos à  casa onde nasceu nosso bisavô Louis Cruls, em Diest,  e onde estava instalada a placa em homenagem a ele, e onde trabalhou o grupo Missão Cruls, criado para preparar o centenário da Missão Cruls. Conto tudo tim tim por tim tim neste post aqui:  a preservação da memória da família por minha mãe e minhas buscas na internet por parentes Cruls do ramo europeu. Meu irmão se debruça há alguns anos na árvore genealógica Cruls, desde os ancestrais em 1700.

Em passado recente, pelo Facebook, eis que acho 2 parentes Cruls, em Gand. O que a internet faz por você😉  Comecei a fazer contato com a Gill, e aproveitando esta viagem à Paris, decidi encontrá-la, e marcamos um café, em casa dela.

Na 4a. feira, fui à Gare du Nord, comprar os bilhetes do Thalys, trem de alta velocidade para Bruxelas, para o dia seguinte.

Não há a menor dificuldade em chegar à Gare du Nord, em Paris, de metrô, ônibus ou taxi.

Indo de taxi:

Indo de metrô:

Para fazer seu roteiro de metrô, este é o link da Rapt aqui . É só colocar seu endereço de ida e chegada e o site faz o itinerário para você.

A Gare du Nord é  uma bela construção, vi algumas estudantes, provavelmente de arquitetura,  sentadas no chão com prancheta de desenho.

No dia seguinte, 5a. feira cedo já estava na Gare du Nord, na plataforma do Thalys esperando o trem com destino à Bruxelas. É preciso chegar com antecedência, pois não só a estação é grande e a mais movimentada da Europa, como o trem sai na hora marcada e não espera por você😉  Ainda deu tempo para comer um pain au chocolat :) Também é preciso estar atenta, pois podem mudar a plataforma que consta no bilhete, como foi o meu caso. Comprei assento para 2a. classe que é super confortável.

O Thalys, trem de alta velocidade, leva 1:22h  de Paris até a Gare Midi, estação em Bruxelas.

Na própria Gare Midi iria comprar o bilhete de trem regional para Gand.

Já acomodada em meu assento, o trem partiu exatamente no horário.

A Gare Midi, em Bruxelas é grande, mas muito bem sinalizada. Há também alguns balcões de informação, caso haja dúvidas. Entrei em fila razoável e comprei os bilhetes de ida e volta para Gand por 8,20 euros, cada,  e fui para a plataforma de embarque.

Estava muuuito frio, com vento e chuva fina, a sensação térmica era de mais frio, bem mais do que em Paris.

Chegando em Gand, o bicicletário na estação:mrgreen:

Peguei um taxi para encontrar a Gill, no endereço indicado.

Pela foto acima, deu pra perceber que bicicletas são o meio de transporte mais utilizado.

Finalmente chego no endereço, toco a campainha e abre a porta com um largo sorriso, a Gill Cruls, nos abraçamos quase sem acreditar.

Brindamos nosso encontro com champagne e conversamos por um bom par de horas, trocando dados da família.

Hora de voltar e pegar o trem de Gand para Bruxelas e, lá o Thalys para Paris. Chamei o mesmo taxi que me trouxe, e a prima Gill me acompanhou até a estação depois de uma tarde de fortes emoções que compõem o mosaico da vida.

Forte e emocionado abraço de despedida, e lá fui eu para a plataforma do trem de Gand para Bruxelas.  Estava gelaaaado.

Trem chegou no horário certinho, entramos no quentinho, em meia hora estávamos em Bruxelas,  na Gare Midi. Corri para plataforma do Thalys, entrei no vagão, e lá voltamos para Paris, quando cheguei já estava escuro.

Na Gare du Nord, peguei o metrô para o Marais, facinho.

Bem, finalmente,  fizemos a ponte Cruls,  Brasil  –  Europa😉

A série de  posts desta viagem:

Marais chez moi

Poîlane, tradição perpetuada na família

Caminhando e me emocionando

Carroussel do Louvre e Mariage Frères

Jacques Génin, impecável

14 thoughts on “Indo a Gand em missão de família

  1. Arthur says:

    Que bela história, feliz por ter encontrado sua prima, e com todo esse contexto histórico!
    Bjs!

  2. Flora says:

    Que bela história familiar!

  3. CarlaZ says:

    Já tinha acompanhado a missão Bélgica da outra vez, e agora ainda tem familiares lá! Que lindo!

  4. Cristina says:

    Acompanhei da outra vez e agora li depois do seu relato ao vivo. Adorei! Não importa onde estejam, é a família pelo mundo! Lindo relato!

  5. Majô says:

    Arthur, Flora, Carlinha e Cristina
    Pois é, achei que devia este esforço à minha mãe que sempre cultivou a história da família com tanta dedicação, muito antes da internet, na época da máquina de escrever e troca de cartas pelo correio.
    Foi gratificante e emocionante😉

  6. Felipe Severino says:

    Olá Majô, vc não me conhece, mas desde minha viagem de lua-de-mel pra Buenos Aires que conheço teu blog e o quanto já fui ajudado por ele.
    Desta vez resolvi te escrever pq vou à Paris e quero fazer um passeio em Bruges, na Bélgica. Li seu post belíssimo da sua viagem em que vc pega o trem de alta velocidade Thalys à Bruxelas. Vc saberia dizer se esse trem tb tem destino a Bruges?
    Seu site é o único que encontrei na internet que menciona uma viagem nesse trem de alta velocidade de Paris à Bruxelas. Se puder dar mais informações, ficaria bastante agradecido. Abraço

    • Majô says:

      Felipe, seja bemvindo😉

      Fico super feliz em saber que as dicas deixadas aqui ajudaram em sua lua-de-mel !

      Que bom que você gostou do post😳
      O Thalys, trem de alta velocidade, vai até Bruxelas, e de lá segue para Amsterdam.
      Não há trem de alta velocidade para as cidades menores.
      Você terá que tomar um trem regional de Bruxelas para Bruges, que sai da mesma estação onde você chegará com o Thalys, a gare Midi em Bruxelas, conforme eu fiz para seguir de Bruxelas para Gent.
      Este bilhete você comprará na Gare Midi de Bruxelas. Não há dificuldade em encontrar os guichês de venda de bilhetes para Bruges, mas se tiver dúvida pergunte em quiosque de informações, quem tem boca vai a Roma😉.
      Paguei o bilhete do Thalys Paris-Bruxelas 63 euros cada trecho, na 2a. classe. Não há necessidade de comprar em 1a. classe, a 2a. é super confortável.
      O bilhete do trem regional de Bruxelas para Gent paguei 8,20 euros, cada trecho.
      Dica: conte com engarrafamento em Paris, nos horários de rush. Quando for para a estação Gare du Nord, saia com bastante antecedência, se possível vá de metrô.
      Observe a plataforma de embarque, como digo no post, às vêzes eles mudam.
      Qualquer dúvida, pergunte😉

  7. Majô, obrigado por nos brindar com esse belo relato. Estou adorando a série. Vou ler o próximo!😉

  8. Felipe Severino says:

    Majô, novamente, muito, muito obrigado! Só vi hoje sua resposta, e foi de muita importância pra mim, pois era a única parte da viagem que eu tinha poucas informações e ainda não estava muito seguro. Ouvi alguns relatos em outros sites de que a estação de Bruxelas era pouco sinalizada e confusa e fiquei bastante preocupado com isso, pelo fato que não falo francês, nem muito menos neerlandês. Consegui até um mapa pdf em inglês da Gare Midi na internet pra poder me localizar quando chegasse lá. =]

    Só estou com um problema agora: não entendi muito bem como se reserva a passagem de trem pra Bruxelas no site do Thalys.
    Será que vc poderia me ajudar?

    Desde já, muito obrigado!

  9. Felipe Severino says:

    Agora há pouco eu estava no site e fui ver se conseguia. Consegui 2 passagens Paris-Bruxelas ida-e-volta por 196 euros o total. Foram as mais baratas que consegui. Mas como não são reembolsáveis, fiquei temeroso em concluir pq não entendi a histórias dos tickets, se é Ticketless ou Paper Ticket, se pago lá na estação Gare du Nord ou se pago aqui, com cartão de crédito. Tô perdido!!

  10. Majô says:

    Felipe Severino, desculpe a demora em responder a você, mas tive uma semana corrida.
    Sugiro que você compre os bilhetes do Thalys, quando chegar em Paris que foi o que fiz. Vá de metrô à Gare du Nord para comprar. Neste post, lá em cima, deixei o link do site da Rapt, onde você pode ver a linha de metrô que deve usar, não sei onde você se hospedará, senão já diria a você a linha. O site é este aqui

    A Gare du Midi em Bruxelas é grande, mas falando inglês você pode obter informações sem problemas em quiosque de informações que ficam no meio do saguão. Há muitos turistas ingleses e americanos circulando por ali que devem pedir informações em inglês nestes quiosques.
    Esta foto http://migre.me/8c6cK que peguei da Wikipedia dá para ter uma idéia da estação. Comprei os bilhetes numa grande sala envidraçada com um balcão grande com vários guichês de venda. Entrando, pega-se uma senha como temos aqui em locais de atendimento para grande público, e aguarda-se a chamada do número que é exibido em painel no alto. Quando chegar seu número, você irá para o guichê e pedirá “ticket pour aller a Bruges”. Vale também levar escrito em papel.

    Quando fui a Bruges, não fui de trem, comprei o passeio de ida e volta no balcão do hotel, em cia de turismo que leva de van, saindo bem cedo de Paris, buscam você na porta do hotel, e chegando ainda de manhã em Bruges. Volta-se à tarde para Paris.
    Estes passeios podem ser comprados em balcões de hotéis.

    Quantos dias você ficará em Paris ?

    Qualquer dúvida me pergunte😉

  11. Felipe Severino says:

    Oi Majô! Fiquei muito feliz com sua resposta! Vou comprar os bilhetes do Thalys na Gare du Nord, como vc sugeriu. Vou passar 7 dias em Paris. Saio amanhã daqui do Brasil, chego em Paris sexta à tarde. O hotel onde vou ficar fica próximo a Gare St-Lazare, cerca de 5 minutos a pé. Já estou bem familiarizado com o mapa do metrô. Estudei ele direitinho, pois esse deve ser meu principal meio de transporte por lá. Bjs =]

    • Majô says:

      Felipe, que marravilha ! Com 7 dias, você aproveita bastante a cidade. Use o metrô, mas não deixe de caminhar pela cidade e sentar para tomar um café na calçada😉
      Em 2 dias você estará craque no metrô.

      Uma dica: sentando no restaurante você pode pedir ” carrafe d’eau” que não é cobrada. Muitos restaurantes já colocam na mesa sem você pedir. Ah e o vinho nacional, além de ser o melhor possível é mais barato que refrigerante😉

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s