E o Panamá ?

Panamá seria uma escala para Cancún, mas  para evitar possível stress de conexão com troca de aeronave que teria somente 1 hora de intervalo, o pernoite no Panamá,  na ida e na volta, seria prudente, palavras de Riq Freire.  Trocando idéias com a Carlinha Idas e Vindas e JB sobre essa viagem, ela também ponderou sobre o pernoite no Panamá, na ida, e por que  não ficar 1 dia inteiro na volta para conhecer o Centro Histórico.  Adotei a idéia 😉  e remarquei os vôos de volta, saindo um dia antes de Playa del Carmen.

Ao procurar hotel, descartei os grandões,  sem personalidade e  cheguei a esse B&B charmoso, o Baru Lodge. Não me perguntem como cheguei a ele 😉

Fica  localizado em bairro residencial com predominância de casas.

Camas king size, tudo de bom depois que se chega de viagem.

Banheiro impecável com ótimo chuveiro.

Quarto dá para área verde.

Microondas e pia.

Indo para o café da manhã, muito verde.

A área do café da manhã é aberta para o jardim.

que tem área  para leitura.

Diária do Baru Lodge :  US$80,00, com café e free wi-fi.

A economia do Panamá  é totalmente dolarizada. A pizza  que você pedir  é paga em dolares, e o troco idem. Taxi, padaria, restaurante, tudo é pago em dolares.
A moeda local é o balboa, mas só existe em forma de moedas para pequenos trocos.

A cidade é quentíssima, e por isto ar condicionado é fundamental.

Foto by Bia.

Os ônibus são fofos, mas sem ar condicionado… portanto, usa-se taxi pra todo lado que é barato. Dependendo do percurso 2 a 5 dolares.

Fizemos um city tour tratado com taxi indicado pelo dono do Baru Lodge, com roteiro que começou  pelo Casco Viejo,  o Centro Histórico do Panama. $25,00 per capita, em carro particular.

Casarios bonitos restaurados.

Igreja de San Ignacio de la Compañia de Jesus.

Ruinas do convento e da Igreja de Santo Domingo, em restauração.

Igreja San Francisco

Embaixada da França.

Chapéus

O Centro Histórico  está em processo de revitalização,  muito bem feita, mas, ainda há muito trabalho por fazer. Em 1998, foi considerado   Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.  Quem estiver na cidade, não deve deixar de fazer esta visita, usando taxi com preço previamente combinado, de  preferência com o hotel.

Dali fomos para a Causeway Amador, construída  com pedras  retiradas da construção do canal do Panamá, ligando três  ilhas pequenas, Naos,  Perico e Flamenco.

É uma área de lazer com pistas para bicicletas, caminhada e corrida.

A vista  para os barquinhos é relaxante.

Aí começou a dificuldade, escolher qual lancha comprar 😉

Seria esta ?

Esta nos pareceu simpática :mrgreen:

Pausa para decidir,  admirando peixinhos a olho nú 😉

Dúvida cruel, qual delas ?  Cidade do Panamá  láaa embaixo.

As três  ilhas eram parte de Fort Grant, construído em 1913 como uma fortaleza para os panamenhos e norte-americanos protegerem o acesso ao Canal do Panamá durante as duas guerras mundiais. Ainda existem muitas das fortificações e maciças estruturas subterrâneas como abrigos anti-bombas.

Vista bacana da Cidade do Panamá com seus mega arranhacéus.

Estivemos num Duty Free que estava lotado de gauchos que embarcariam para um cruzeiro. Não achei os preços mais baratos que Ezeiza ou Rio. Mas, tinha uma boa variedade da linha l´Occitanne com bons preços.

A 3a. etapa do tour foi a visita ao Canal do Panamá que liga o Oceano Atlântico ao Pacífico, espetacular.

Cheguei no exato momento em que atravessava um transatlântico e o mirante estava apinhado de gente, por isto não consegui tirar fotos de bons ângulos, dêem um desconto 😉 Fiz 3 vídeos em posições diferentes que se complementam.

Navio cargueiro chegando do Atlântico para  atravessar para o Pacífico.

Globalização.

Na parte da manhã só passam navios do Pacífico para o Atlântico, e na parte da tarde  nos dois sentidos.

Em Miraflores os navios descem em direção ao Pacífico ou sobem  em direção ao Atlântico, 8 metros acima do nível do mar, divididos em três etapas iguais e levam em média 7 minutos em cada.

De volta ao Baru Lodge, já tinha fechado a conta na véspera. Fizemos um lanche na padaria da esquina, muito boa por sinal, descanso rápido no hotel, no fresquinho do ar condicionado do quarto e bora pro aeroporto.

Saímos para o Aeroporto com o mesmo taxi que nos levou ao tour, tratado com o hotel. $25,00 dolares + $3,50 do pedágio.

Torres altíiiissimas a la Dubai.

Estão construindo sem parar, paraiso  para engenheiros 😉

Aeroporto Tocumen. De volta, sniff

Da janela do avião, por do sol lindo.

Dicas: o taxi do aeroporto ao hotel deve ser combinado com o próprio hotel, pois na chegada você já terá alguém lhe esperando com a plaquinha com seu nome. Senão, será abordado por zilhões de zangões. Paguei $25,00. A volta, do hotel ao aeroporto custou o mesmo valor, mas o taxista cobrou o pedágio de $3,50.

Para compras de eletrônicos a dica é a Panafoto , indicada pelo dono do hotel.  A diferença de preço da mesma câmera com relação ao free shop, foi de $170,00, a menos.

A serie de posts desta viagem:

Blogueira em ferias, oba !

A la Playa

Na 5a. Avenida

De pernas para o ar em Playa

Chichen-Itza

Cenote Ik Khil e Valladolid

Caminhar em Tulum faz bem a alma

Akumal

As ruinas de Tulum

E o hotel ?

Playa del Carmen, viagem boa que cabe no bolso

Dê uma passada no blog do JB que fez relatos sobre o Panamá, neste post aqui. O 2o. post é este aqui.  E o 30.  aqui.