Londres, um dia em bate-volta


Nesta nossa viagem à Paris 1o. post  aqui e 2o. aqui, estava previsto um bate-volta a Londres, era uma torcida da Marina  para  conhecer a cidade. Fiquei algum tempo checando promoções no Eurostar e enfim, comprei pelo site sentadinha no sofá,  imprimi os bilhetes que apresentei  na hora do embarque.  Simples assim.

A grande sacada do bate-volta de Paris a Londres, e vice-versa de trem, é que você sai de uma estação de trem no meio da cidade de Paris, a Gare du Nord, para onde você irá de metrô ou ônibus, e desce no meio da cidade de Londres, a estação St. Pancras, sem ter que enfrentar o stress de aeroportos. Você só precisa chegar na estação 40 min  antes do embarque,  apresentar o bilhete impresso que comprou  pela internet aqui no Brasil, passar na imigração, tudo rapidinho,  entrar no trem e curtir a viagem que leva 2 horas e 15min.

Londres é uma cidade fascinante,  não só por suas  tradições seculares, mas, por outro lado, tem sido vanguarda na música e na moda.

Na década de 60, Londres rompeu paradigmas na moda , quando Mary Quant  criou a mini-saia. Na época foi um choque de ordem  nos costumes femininos.  Mary Quant foi condecorada pela rainha Elizabeth II com a Ordem do Império Britânico, por serviços prestados, sua criação, a mini-saia. Nessa ocasião, Londres era considerada a capital mundial da moda,  Carnaby Street,  King’s Road, Oxford Street ditavam a moda dos jovens.

Por sua vez, os Beatles e Rolling Stones, na época foram a vanguarda na música,  acompanhados por milhões de jovens no mundo todo, promovendo uma revolução no comportamento, idéias e costumes daquela geração. Os Beatles também foram condecorados pela Rainha Elizabeth II com a Ordem do Império Britânico. Mick Jagger do Rolling Stones também foi condecorado pela Rainha. Londres  é até hoje uma cidade de vanguarda com inúmeros talentos na música.

Voltando à nossa viagem,  para passarmos um dia em Londres e conhecer um pouco do melhor da cidade,  a idéia era chegando em St. Pancras, pegar aqueles lindos ônibus vermelhos que são  uma marca registrada londrina, assim Marina e Pedro no trajeto conheceriam um pouco da cidade, até o Palácio de Buckingham, onde tentaríamos assistir a troca da guarda, imperdível para quem vai à cidade pela 1a. vez.


Saindo de St. Pancras, onde comprei o bilhete de um dia por 7£  cada ticket,  portanto, 3 pessoas 21£. Sim, é caro. Fomos para a parada de ônibus  King’s Cross, ao lado da estação  para pegarmos o ônibus da linha 73 (mapa acima). Site do mapa de linhas de ônibus aqui.


e descermos na parada Victoria Line, ponto final da linha. O trânsito em Londres está bem engarrafado, conte com isto.

Comprei o  Off-Peak One-day Travelcard – válido para ônibus e metrô de 9.30am de 2a. feira  até  6a.-feira  (12.01am até 4.30am do dia seguinte) e durante o dia todo nos fins de semana e feriados públicos:

  • Zones 1 and 2 – adult £7

Se ficasse na cidade mais de 1 dia, valeria a pena comprar o OysterCard que você carrega com a quantia que quiser,  e na saida da cidade, pode ser reembolsado do saldo que ainda tiver no cartão. Sites aqui e aqui.

Detalhe surpreendente: ingleses são conhecidos por sua pontualidade, masss o trem atrasou 40 min, tsc tsc,  e com isto perdemos a troca da guarda.

O palácio de Buckingham é belíssimo, soldados da guarda imperial estavam  lá, impecáveis e imóveis.

Palácio de Buckingham

Palácio de Buckingham

Muuuitos turistas

E, não é que conseguimos ainda ver a guarda imperial marchando em sincronização perfeita !

Hyde Park

Hyde Park

Dali, fomos caminhando pelo belíssimo Hyde Park

Hyde Park

Caminhando pela lateral do Hyde Park

Árvores lindas

até o Big Ben e Parlamento, ícones da cidade.


Marina encantada com as cabines telefônicas, quem não fica ?

Bandeiras nas ruas para Olimpiadas, cidade tinindo.

House Guards Ave.

Caminhando pela Whitehall, passamos em frente a um pub charmoso, o The Clarence, e entramos para almoçar, porque àquela hora a fome era grande. Subimos ao 2o. andar, encontramos um ambiente aconchegante (fotos abaixo) e  serviço atencioso.  Pedi um frango com molho, ligeiramente adocicado, com ervas que davam um sabor delicado, uma grata surpresa. Marina pediu o mesmo, e o Pedro um burger com bacon e cheese.  Me sinto à vontade para indicar o The Clarence para quem estiver por ali, depois de passar no Big Ben. Ainda guardo gratas lembranças do frango que comi ali 😉 Como o serviço era lento, não pedimos sobremesa para podermos continuar nossa caminhada até Mayfair, bairro cool.

The Clarence

The Clarence

The Clarence – chicken breast

by Marina

Quanto custou: 48,82 £

Mapa da nossa caminhada do Buckingham Palace até Big Ben e London Tower, parando no pub The Clarence

Dali, seguimos caminhando, melhor maneira de conhecer a cidade, até Mayfair.

Trafalgar Square

E passamos por várias ruas enfeitadas com bandeiras  para as Olimpíadas, dali a 15 dias.

Olha a do Brasil lá !

as bikes

Em Mayfair, bairro elegante e sofisticado

Caminhamos por aquelas ruas com prédios lindos,  lojas e restaurantes refinados de Mayfair.


mesas impecáveis

Depois de caminharmos pelas ruas de Mayfair, fomos até a loja da M&M para felicidade total da Marina 😆

Os teens vão à loucura nesta loja, todas as nacionalidades, japoneses, turcos, brasileiros, coreanos, alemães, americanos, franceses.

Saindo, caminhamos em direção à Regent St. passamos pela porta da Boots, uma rede de farmácias que a Mari Campos do Saia pelo Mundo  adora 😉  Post dela só sobre a Boots aqui. Como não entrar ? Realmente, é tudo o que a alma feminina ama: cremes, maquillage, shampoos, etc. a preços mais amáveis que os grandes department stores. Você encontra promoções, tipo leve 3 e pague 2 de produtos de qualidade. Há miniaturas de shampoos e cremes para viagem com preços muito bons.

Continuamos a caminhar pela  Regent Street, passamos por uma pequena Zara Home que estava com itens em liqui, bem em conta, mesmo com a libra a R$3,55.

Mais alguns passos,  e achamos esta ruazinha Heddon St só de restaurantes e casas de chá. Entramos no Aubaine  restaurante bem simpático,  para um café/suco e a sobremesa que pulamos no The Clarence,  antes de embarcarmos de volta para Paris.

Mapas da nossa caminhada.

Heddon St.

Aubaine

Aubaine reservado só para nós 😉

Aubaine

Aubaine

Cappuccino e Moelleux

Cappuccino com esta torta Moelleux, divina.

Éclair da Marina

Aubaine

Serviço muito amável e impecável,  uma marca inglesa.

Quanto custou ? 19,41 £

Dali, fomos para a estação St. Pancras. Como o trânsito em Londres está bem engarrafado, ao invés de ônibus, pegamos um taxi,

destes pretos charmosos, que seguiu por ruas internas e chegamos rapidinho em St Pancras. Custou 11, 40£ 

Sairia o mesmo preço para 3 pessoas, se tivesse ido e voltado da estação St. Pancras usando taxi, do que o valor que paguei por 3 passes de ônibus  21£ que só foi usado 1 vez. Mas e o charme de andar neste ônibus ? Claro que conta 😉

Não deu tempo de ir ao British Museum que tinha incluido no roteiro, mas aproveitamos muito da cidade nas 9 horas que estivemos em Londres.

Chegando em St. Pancras, fizemos o check-in rapidinho para o Eurostar. Nosso horário do trem de volta à Paris era 19:01h, chegando na Gare du Nord, às 22:17h.

A viagem teve de brinde paisagens com um pôr do sol de tirar o fôlego, embaixo, algumas fotos.

Pink sky

Chegamos em Paris, na Gare du Nord,  no horário marcado, onde pegamos o metrô até a estação St. Paul, tranquilamente, depois de curtirmos Londres o dia todo.

Considerações:

Toda a programação do dia foi free, com exceção de transporte, alimentação e compritchas. Só se gasta sola de sapato;)

O trem é muito mais confortável do que avião, poltronas mais largas e espaço generoso para pernas e mesinha na frente da poltrona.  O Thalys, ainda mais confortável que o Eurostar.

Vale a pena dormir uma noite em Londres ? Sim, é uma cidade que vale ficar 2 a 3 dias, se possível. Em estadia de 3 dias, vale a pena fazer o passeio a Stratford upon Avon que é uma gracinha. Mas, considere que hotel em Londres é caro.

O tempo ajudou muito, pois estava sol e  friozinho,  assim, caminhamos com prazer, o verão estava bem camarada, enquanto estivemos lá. Em alguns momentos ao longo do dia, choveu rapidamente, mas nada que atrapalhasse.  Sim, guarda-chuva deve estar sempre na sua mochila ou bolsa. Se esqueceu compre lá, até na Boots também tem.

Blogs sobre Londres que devem ser consultados:

Londres para principiantes escrito pela Eneida que mora lá. Muitas informações sobre  transporte,  ônibus/bus e metrô/tub

Saia pelo Mundo e Pelo Mundo da Mari Campos que vira e mexe está em Londres.

DriEverywhere da Dri Miller que mora em Londres.

E, claro o ViajenaViagem do Riq Freire, sempre.

Posts desta viagem:

Paris para Marina

2o. dia: caminhando pelo Sena, indo de encontro ao maior ícone de Paris 

Advertisements