Cenote Ik-Kil e Valladolid

 

Seguindo o nosso passeio a Chichén Itzá, fomos ao cenote Ik-kil  que para mim era inusitado. Na verdade, eu sabia que iríamos a Valladoid, mas deconhecia que antes passaríamos por um cenote, e  não fui preparada para mergulhar. Passamos antes para fazer uma refeição leve, carne moida ou frango desfiado e massa para aqueles corajosos que se arremessariam neste imenso  poço.

Logo que você chega no parapeito e olha lá para  baixo, dá até aflição, é muito alto e o poço profundo. 

Na foto abaixo, alguém pulou lá de cima e aparece como uma mancha  branca.

Desci escadas para tirar fotos mais de perto. A água é turva e deve ser gelaaada. 

 Para os maias, os cenotes eram considerados sagrados. São muitos em toda esta região e se ligam como rios  subterrâneos.

Paga-se ingresso para entrar em qualquer cenote, o nosso passeio incluia o Ik-kil.

Dali, seguimos para Valladolid.

Igreja de San Gervasio, 1552, em frente à praça. A luz do final do dia ajuda a foto ficar mais bonita 😉

 Cidade limpíssima, casas pintadíssimas, tinindo !

Arcos lindos.

A praça um primor, precisamos nos educar 😦

Saindo do café um  merrricano com sombrero e os arcos.

Uma tentativa de fotografar a lua nascendo com o carro em movimento 😉

Chichén Itzá

O sítio arqueológico de Chichén Itzá era um programa certo, mas sendo uma longa distância, 2 horas e meia para ir e  voltar, de  carro ficaria muito puxado, não recomendo a ninguém.  O Henrique e a Vanessa nos levaram ao italiano com quem fizeram o tour, pela Odyssey que fica pertinho, só andar 2 quadras e já na 5a. Avenida, virar à direita, entre Calles 4 e 2,  onde há vários balcões de operadoras vendendo passeios.  Compramos o passeio para Chichén Itzá , cenote Ik-Kil e Valladolid,  por 40 dolares,  com  van que pega você no hotel, às 7:40h pontualmente. Tivemos só uns  9 colegas.

Só fizemos uma paradinha para esticar as pernas e comprar uma aguinha e seguimos em frente. Chegamos a Chichén, onde o motorista nos deixou com um guia que é fundamental para você entender a história de Chichén e a civilização maia. O ingresso de 12 dolares já estava incluido, recebemos uma pulseirinha e fomos levados para 1 hora e meia de aula e contemplação das ruinas desta civilização que habitou esta região 1500 anos antes de Cristo.

Os toltecas invadiram a Península Yucatam, segundo o guia sem sentimento de disputa, pois conviveram com os maias na mais perfeita harmonia e baseados em seus conhecimentos , ajudaram a construir os templos espalhados por esta região.

O estádio para competição de pelota, o pok ta pok, o precursor do futebol, onde  2 equipes de 7 pessoas competiam liderados por um capitão, usando uma bola de material equivalente à goma de mascar. Usavam a cabeça, ombros e pernas, não podiam tocar a bola com as mãos.

O alvo era o círculo no topo da coluna.

 

Mas, eram bem sanguinários,  o vencedor era decapitado pelo perdedor. Aí estão imagens esculpidas nas pedras que mostram um jogador com uma cabeça na mão.

Este é o cemitério, as cinzas dos cidadãos “escolhidos” e que eram sacrificados eram espalhadas aqui para que o vento levasse as cinzas fertilizando a região.

 

Os maias eram homens de estatura pequena, seus templos eram baixos, serviram de base para os astecas construirem templos maiores sobre eles.

Arqueólogos descobriram recentemente templos maias abaixo do piso, todos  baixinhos, há muitos  ainda abaixo do solo onde pisamos.

Os templos tinham uma acústica excepcional, os sacerdotes falavam ao povo de dentro do túnel no templo e o povo achava que eram deuses falando.

O guia nos fez gravar este video para que escutássemos a acústica produzida com suas palmas.

A la Playa

 

Quando chegamos na praia, 5a. estava meio nublado. Depois abriu o sol  e ficou assim, céu azulzão.

Caminhando até o final da praia onde ficam os barcos dos pescadores atracados.

 

Vai um mojito ?

Quando saimos da praia, vi Pedráo com o sol debaixo do braço  indo embora de braços dados com a Sylvia 🙂 Psionante, o sol foi embora mesmo 😉 

O garçon do Mosquito nos deu um hasta  mañana.

Na 5a. avenida…

A 5a. avenida é a rua mais charmosa e badalada de Playa, pode-se comparar à rua das Pedras em Búzios ou à Corso Umberto em Taormina.  É a última paralela à praia e todas as suas transversais vão dar literalmente na areia. 

É uma rua plana com excelente calçamento, os cafés e bares estão sempre cheios, e ferve animadíssima de dia ou à noite, principalmente a partir da rua 8.

Lojas de souvenir, de grifes, hotéis bacanas, restaurantes italianos, mexicanos, pega turistas,  barezinhos, artistas fazendo performance na rua, tem de tudo.

Visitei ontem este hotel El Punto, novinho, móveis bonitos e a diária segundo me informaram 160 dolares, mas com desconto ficaria por 120. Quando subi no quarto para visitar e tirar foto, a bateria da câmera arriada 😦

Passando em frente ao Hotel Mosquito Blue, chiquérrimo.

E para comprovar como este mundo é pequeno, nossos vizinhos de quarto no hotel até hoje, o Henrique e a Vanessa são brasileiros, do Rio e acompanham o VnV, haha.

Saimos ontem à noite para um rolé na 5a. e sentamos para brindar com uma marguerita  nesse barzinho. O casal é uma simpatia e nos deu um monte de dicas 😉 A essa hora estão voltando para o Brasil.

 

De pernas para o ar em Playa

 

Fisgada pelos posts do querido guru Riq em setembro – obrigadaaaa guruuuu – sobre essa pérola que  nos revelou como um presente, numa época de alto stress quase no fim do ano, entrei em contato com o Bruno da Superviagem, e comecei a planejar férias nesse paraiso. 

Com o mix de dolar baixo, pagamento da passagem em váaarias parcelas, preços em conta aqui no Mérrrico,  se comparados aos de turismo no Brasil, eis que a meta passou a ser Playa del Carmen, e eis que estamos aqui 😉

Cais do ferry para Cozumel, no final da praia.

Descemos no Panamá, onde ficamos uma noite, e chegamos ontem à tarde  a Cancun com um welcome especial. Ficamos embarcados meia hora no avião e quando descemos no finger,  fomos recebidos ainda ali por um soldado com carabina e revista por outros soldados em toda nossa bagagem de mão, bolsa, maleta de laptop e tudo o que você tivesse em mãos era aberto e vistoriado. Ah e cão farejador também.   As bagagens antes de serem colocadas nas esteiras eram examinadas por cães farejadores.

Enfim, conseguimos sair do aeroporto e decidimos alugar um carro até Playa del Carmen, a Thrifty tinha o melhor preço,  35 dolares com taxa de 15 dolares para devolver em Playa. A estrada é facílima, uma reta. Só que o carro era automático, eu nunca tinha dirigido um, facílimo, massss o hábito de pisar na embreagem e colocar em ponto morto  fez algumas bruscas paradas, uia 🙄 Decidi então, não parar mais, apesar da fome  viemos direto para Playa. Enfim, deu tudo certo, entrar na cidade e achar o hotel foi facinho.

Mortas de fome,  deixamos as malas e saimos para reconhecimento da área.

Fomos direto para a 5a. avenida, a rua charmosa. Merrrico tudo muito colorido.

Hoje, graças ao pistolão da Sylvia, Pedrão mandou solzão, mas com muito vento. Essas camas são do Mosquito Beach  são djilicia pra relaxar e ler 😉 Não se sente o tempo passar. Trazem toalhas e ombrelone. Sai a 200 pesos pelo dia todo, de 9:00h até 23:00h você pode usar, sair, voltar. 200 pesos são R$33,33.  As  espreguiçadeiras custam 100 pesos cada.

Considerando o aluguel de cadeiras de alumínio nas praias do Rio, estas camas que têm conforto e qualidade superiores,  não são caras.

Ao longo da praia, há diversos pontos de aluguel de espreguiçadeiras.

Fiz uma caminhada revigorante de ponta a ponta, a praia não é grande.

E depois um fettucine em frente à praia com esse visu 🙂

A conta 370 pesos com gorjeta 425 pesos, em reais  70 pratas. 2 fettuccines, cerveja, água e 3 espressos. Se pagasse em dolar sairia $26,41, o câmbio deles estava ótimo, pagavam 14 pesos por 1 dolar.  

Todas as  contas  vem com valor total em dolar e  pesos, pagos de acordo com a vontade do freguês.

Voltando no final do dia dá pra meditar…

Aqui também tem, falta choque de ordem :mrgreen:

Blogueira em férias, ôba !!!

Viajando pela Copa, pernoitando no Panamá,

Chegando em Cancun, mar deslumbrante.

Queridos, a blogueira está em férias 🙂 Parafraseando o Riq,   procônfui ?  Adriane acertou, chegamos ao Merrrrico !

e já em Playa del Carmen.

Assim que der posto mais procês :mrgreen:

Mas, enquando isto não deixem de ir ao post anterior VnVRio 2010 para se inscrever 😉

Beijinhos a todos, smack

Fui !!!!

VnVRio 2010

Tudo começou com o aviso da DaniG no twitter que viria ao Rio no fim de semana depois da Semana Santa, 9 a 11 de abril. Em seguida, a Marcie  se alvorossou e avisou que também viria dos States, incluindo a filhota Julie e, talvez  maridão Ciro  para esse encontro VnV.  Daí em diante veio com força o movimento VnVRio 2010 ao qual já aderiram  a Denise Mustafá e Claudio Sena, de Fortaleza, a PaulaBicudo com Mauricio e a pequena Sofia, Natalie e Marvila de Sampa, Malu e maridãoMari Campos e Flávia Penido,  o EduLuz com e , a família iluminada, JorgeGiramundo com Tati e Clara, e claro, os mezzo cariocas Sylvia e Mario  e  o queridíssimo guru Riq e Nick. Leonardo Luz  já pulou dentro pelo twitter e o Paulo Futami e Ana acabaram de avisar também pelo twitter que virão. A Rogériaaaa também de Sampa.  E do Rio, Lu Malheiros, Merel, Paula* com Fred,  e tenho certeza as Carlinhas,  Idas e Vindas e Zobaran, JB, Arthur, Meilin, Cristina, Ângela Bruno, Constance, Lu Maldivas,  Marilia Marconi que estão em todas. 

Todos são muito bemvindos !!!!!!!

A programação:

6a feira, dia 9 de abril para abrir  os trabalhos:   encontro no Felice Caffè, rua Gomes Carneiro, 30, Ipanema. Perto do Arpoador.  Palaphitas, na Lagoa, quase em frente ao Corte Cantagalo, a partir de 18:00h,  e  jantar na RobertaSudbrack para os que quiserem fazer programa Gastrô.

Sábado, dia 10 de abril:

Manhã – 11:15h – visita ao Instituto Moreira Salles, IMS, na Rua Marquês de São Vicente, 476.  Encontro em frente ao Hotel Praia Ipanema na  Av. Vieira Souto, esq. R. Paul Redfern – perto do Jardim de Alah. Quem puder ir de carro para dar carona, será muito bom.

Às 21:00h  haverá um encontrão no RioScenarium, na Lapa. Acabo fazer  reserva  no Rio Scenarium para 40 pessoas. A Meilin fez reserva para 20 pessoas no 2o. andar.

De manhã,  alguns não deixarão de ir à praia por nada, como a RastaFlávia e a Meilin.

Outros, como a Marcie querem visitar CCBB.  Jardim Botânico, Pão de Açucar e Corcovado são também objeto de desejo de muitos.

Enfim, as adesões podem e devem ser colocadas na caixa de comentários.

A pedidos da Sylvia aí vai o Desempacotando o Rio.

Depois que foi lançada a semente do VnVRio2010, comecei a visitar alguns hotéis e hostel que não conhecia para dar uma ajudinha aos que vêm de fora.

Começarei pelo último que visitei na 6a. feira, o Praia Ipanema que fica na Vieira Souto, esquina da Rua Paul Redfern, de  frente para a praia e pertíssimo do melhor comércio de Ipanema e praia ótima. Visitei 2 apartamentos, de frente para a praia que tem esse visu da foto, e olhem que o dia tava feioso, e outro quarto lateral que tem vista da praia até o Arpoador, para o Pão de Açucar, e ao longe a Lagoa.

 

Foto de quarto do Hotel Praia Ipanema . A vista é espetacular.

Os quartos têm piso frio, amplos com  bons banheiros.

  

 Quartos comunicantes com camas twin e casal.

No 1o. andar, sala para café da manhã.

No último andar, restaurante com vista linda, ambiente perfeito para um drink no fim da tarde,  e uma pequena piscina.

Outo  que visitei foi o  Hotel Vermont, em Ipanema que está na 2a. quadra da praia e tem tarifa imbatível. Infelizmente quando cheguei lá e tentei tirar fotos, a bateria da câmera estava arriada. Os quartos são simples com banheiros também simples, mas ok. A tarifa de R$230,00 no coração de Ipanema faz com que ele esteja sempre cheio.  Procure reservar quarto no bloco da frente, em andar alto ou lateral. Não recomendo o quarto no bloco de trás, não gostei.

O Hotel Ritz fica no coração do Leblon, perto restaurantes e bares descolados, em frente ao Garcia&Rodrigues. Não é flat, é um hotel.

 O lobby é chique com móveis contemporâneos.

O bar.

Banheiro amplo e bonito.

Pequena cozinha.

Vista do quarto em  andar alto.

Dois Irmãos.

Quarto standard lateral com vista para  montanhas.

Banheiro grande e claro.

Sala ampla do café da manhã, junto à piscina.

Fui a um hostel no Leblon, o Lemon Spirit, super bem localizado, na 2a. quadra da praia.  Não consegui visitar os quartos porque o hostel estava cheio, aliás está sempre cheio. A Liciana já se hospedou nele com a irmã.

 Há 2 quartos privativos para 2 pessoas.  Portanto, se alguém tiver interesse procure logo, os demais são compartilhados.

Uma antiga casa, na esquina da R.Cupertino Durão com San Martin.

O Mercure no Leblon foi uma agradável  surpresa. Já  havia passado no hotel  para buscar o Nilo e Gilda, mas não havia visitado os apartamentos. Ele está  na João Lira, rua tranquila, perto da Praça Antero de Quental e na 2a. quadra da praia. A 2 quadras do Kurt 😉

Banheiros amplos.

Cozinha americana.

Quartos que podem ser interligados.

Atravessando a rua tem a Pavelka.