2o. dia: caminhando pelo Sena, indo de encontro ao maior ícone de Paris

No 2o. dia,  depois de tomar o café da manhã, baguette quentinha da Boulangerie do Paul com  manteiga da melhor qualidade,  e aproveitando que São Pedro não deixou chover, saimos para realizar o sonho da Marina,  ir  à Torre Eiffel, sem dúvida um ícone em Paris para todas as idades. Começamos a caminhar, admirando as pontes do Sena, os monumentos de encher os olhos, como La Conciergerie, os barcos navegando no rio, paisagens como se estivéssemos dentro de um quadro.

La Conciergerie

Pont Neuf

Rio Sena

E, claro pausa para fotos …

.. e mais fotos

Olha “ela” lá longe !

…. e mais fotos

Pont de l’Archevêché

Rive Gauche

Institut de France

E nós caminhando… entramos  na Rue du Bac,  passamos no Monoprix para comprar água e seguimos  em frente pela looonga  Rue de Grenelle.

Passamos pelo belíssimo Hotel des Invalides.

Hotel des Invalides

Hotel des Invalides

Vista aérea do Hotel des Invalides – foto Wikipedia

Caminhamos mais um pouco, e voilà, estávamos de frente para a Torre Eiffel ! Os olhos da Marina brilhavam de contentamento 😆 😆


Para este programa,  só precisamos de sapatos confortáveis e disposição para caminhar, e é  free. Programa testado e aprovado para adolescentes.

Seria  possível também chegar à Torre Eiffel, pelo ôninus linha 69 que tem ponto final no Champs de Mars, onde está a Torre Eiffel.

Aliás, como transporte em Paris, os ônibus são uma ótima opção para conhecer a cidade com  motoristas super civilizados. O preço do bilhete é o mesmo do metrô, 1,70 € . Comprando carnê de 10 bilhetes, paga-se 12,50 €.

Depois de muuitas fotos, e atendendo à fome que já chegava, seguimos para Rue Saint-Dominique que tem uma série de bons restaurantes.

Muitos  tinham fila na porta, como o Café Constant e o Les Cocottes do chef Christian Constant. Olhamos preços e menus e optamos pelo Les Cocottes  que já não tinha fila, o balcão estava cheio, mas ainda restavam alguns lugares em mesa lateral, na entrada. O atendimento é muito simpático. Os pratos são servidos em panelinhas de ferro Staub, as cocottes,  ou em potinhos de vidro.

Pedro e eu pedimos cocottes volaille (17 € ) e Marina, omelette de fromage e jambon (10 €).

Cocotte volaille

As cocottes são fundas, portanto as porções não são pequenas como parecem. O frango estava tenro e saboroso, os temperos na medida, comi até o finalzinho. O vinho rosé que acompanhou estava perfeito.

Na hora da sobremesa, houve dificuldade para escolher, muitas gostosuras. Pedi a La fabuleuse tarte au chocolat de Christian Constant (10 € ), fabulosa mesmo ! , Marina foi de mousse au chocolat( 7 € e Pedro flan au oeuf (7 €).

La fabuleuse tarte au chocolat de Christian Constant

Mousse au chocolat

Flan au oeuf

O melhor horário para o Les Cocottes  é 19:00h, vai ter  uma filinha, mas dá para conseguir lugar. Depois, a fila e a espera serão maiores.

Voltamos de ônibus, pela linha 69.

Les Cocottes – 135 rue St. Dominique, 75007 –  Não aceita reservas

Estação de metrô mais próxima: Ecole Militaire

BUS : 69/ 42/ 92/ 80

Map

Posts desta viagem:

Paris para Marina

Londres, um dia em bate-volta

Advertisements

Paris para Marina

Image

Em maio deste ano, Marina, minha sobrinha-neta, completou 15 anos, idade que ainda tem significado especial para meninas. Em março, pensando em seu presente, achei que uma viagem a Paris teria uma repercussão especial em sua vida, mais que um objeto.

A minha 1a viagem à Europa trouxe  inúmeras emoções que nunca esqueci. É um choque cultural.

Há algum tempo Marina me pedia para levá-la,  agora tinha chegado o momento. Sim, o presente para ela em seus 15 anos foi a viagem a Paris, por um período que desse para saborear com calma a cidade, seriam 12 dias,  intercalando com bate-volta à Bruxelas e Brugges,  e outro  à Londres. Aluguei um studio  que nos daria a sensação de viver como  parisienses, uma experiência  com sabor especial.

Conosco foi também o Pedro, amigo e namorado, então com três já tínhamos uma excursão 😉

Por 2 meses, organizei um roteiro com diversas opções de passeios nos arredores de Paris, como Versailles, castelos do Loire e Giverny,  e muitas andanças pelas ruas de Paris que convidam você  a flanar, especialmente no verão.  Este seria  um programa diário, caso não estivéssemos fora da cidade. Claro, que poderia haver variações, dependendo do ritmo e interesse despertados neles.

Saimos os três  no dia 1o. de  julho, no dia 2 chegamos, nos instalamos no studio,  e pé na rua. Caminhamos pela linda Place des Vosges e fomos jantar no Le Petit Marché,  bistrô que tinha me deixado boas lembranças em dezembro. A localização dele é especial, fica em rua que sai da Place des Vosges, a rue Béarn. Foi difícil conseguir mesa, pois chegamos tarde  e estava lotado. Com um pouco de paciência e a fome era grande, conseguimos uma mesa.  Pedidos feitos, tudo delicioso, fechamos os três com crême brulée.

magret de canard

Quem resiste …..

Le Petit Marché

Voltamos a pé para casa,  estávamos bem cansados da viagem, a 1a. viagem longa de Marina.  Amanhã tem mais 😉

Não deixem de passar no Mustaching  blog da Marina que acabou de abrir, fresquinho, onde ela está fazendo o diário da viagem, passa lá 😉 E já nasceu bilingue !

Não sei há quanto tempo eu sonho em sair do Brasil. Sempre quis visitar várias partes do mundo, mas nunca tive a chance – até alguns dias atrás. No meu aniversário de 15 anos, minha tia me deu de presente uma viagem para Paris! Estou aqui há uma semana e ainda ficarei por mais 5 dias, e está sendo maravilhoso. Como só tive tempo para escrever sobre a viagem agora, vou fazer um post para cada dia que fiquei aqui, e esse é sobre o primeiro. ” ………

Le Petit Marché – 9 Rue Béarn, 75003 –  tel: +33 1 43 14 98 53

Posts desta viagem:

2o. dia: caminhando pelo Sena, indo de encontro ao maior ícone de Paris 

Londres, um dia em bate-volta