Voando Emirates

Tripulação

Quando comecei a pesquisa de preços de bilhetes para viagem à Buenos Aires pela internet, buscando em todos os sites de cias. aéreas e  pelo kayak, a passagem mais barata que  encontrei, por incrível que pareça era o vôo pela Emirates que em breve inauguraria saídas no Rio de Janeiro. Considerada uma das melhores cias. aéreas do mundo, não hesitei, e click,  comprei pelo site da própria Emirates.

Dois dias antes do vôo, recebi um e-mail da Emirates, oferecendo upgrade para Business Class no vôo de ida, por um valor bem razoável.  Aceitei com um enorme sorriso, mal podendo esperar pelo que vinha pela frente.

Estava tão empolgada com este vôo que escrevi para o Rodrigo Purisch do site Aquela Passagem, a melhor referência no Brasil em passagens aéreas, milhas e aviões, contando a novidade. Fiquei de escrever minhas impressões,  quando voltasse.

Como passageiras da Business Class, tivemos acesso ao lounge no Galeão, compartilhado por algumas companhias aéreas. Muito confortável com sofás   e poltronas, acesso a wifi, comidinhas e bebidinhas: espresso, refris, prosecco, mini quiches quentinhas, sanduichinhos, etc. tudo farto e reposto constantemente.

Depois de uma relaxada, subimos para o embarque, e perto de nós, toda a tripulação Emirates reunida, como está na foto acima.

Embarcando no baita avião, um Boeing 777,  já fomos brindadas com poltronas visivelmente largas e confortáveis, com bastante espaço para esticar as pernas 😆

Business class

A nova geração de  “lie-flat seating”, poltronas que podem virar camas são tudo o que se quer, principalmente em vôos de longa distância e muitas horas. Telas de 17″ em frente à cada poltrona com vasta programação de filmes e jogos. Na poltrona, há entrada USB para recarregar celulares ou laptops, e tomadas.

Business class

As  “new generation of lie-flat seating “.

Conforto e compartimento para deixar os sapatos.

Espaço para esticar as pernas e deitar, tudo o que se quer 🙂

Deitada completamente olhando para o teto 😉

Sistema wifi com todos os comandos para TV e poltrona conectados, ao alcance da mão, no tablet que fica encaixado, à sua direita.

Tablet wifi individual

E….. comandos para massagem, sim a poltrona faz massagem :mrgreen: Achei isso um luxo !!

Escolhendo qual a massagem, lombar, pernas,zig zag, relaxante...

Enquanto me distraia com as novidades, chega o jantar que já tinha escolhido no menu que a comissária de bordo trouxe, quando sentamos. A mesa é espaçosa. Serviço americano de linho e guardanapo de tecido que não se vê mais. Talheres de prata. Vinho em  taça.  Pãezinhos quentes.

Jantar com serviço de linho e talheres de prata, em mesa espaçosa.

Jantando e navegando

Mousse de chocolate, quando se corta tem recheio derretido, djilícia

Subindo esta divisória há privacidade pra sonequinha ou para trabalhar.

Depois do jantar, baixam automaticamente todas as persianas das janelas para um soninho, dei-ta-das ! Poderia ir para Dubai sem nenhum desconforto :mrgreen:

A mesa acoplada à poltrona é larga o suficiente para trabalhar com seu laptop com conforto. Há compartimento lateral para guardar algo que não se queira deixar no colo.

O atendimento dos comissários/as de bordo durante o vôo foi eficiente e gentil.

Em suma, vale cada centavo ou milha, voar na Business da Emirates 😆 😆

Advertisements

Despedindo da Place des Vosges

Place des Vosges

No último dia da minha estadia, depois de arrumar bagagem, saí para comer,  mas depois do belo almoço no Les Philosophes, só algo levinho.

Place des Vosges

Voltei à linda Place des Vosges pela qual sou apaixonada, minha  predileta, e  dali fui ao charmoso Le Petit Marché, onde tinha jantado no dia em que cheguei. Masss, estava lotado com fila de espera na calçada.

Caminhando de volta aos arcos da Praça,  e passando por um restaurante, o Carette, parei para olhar o menu e resolvi arriscar um creme de abóbora que era o que me apetecia.

Sentei na varanda e não é que tinha aquecedor perto de mim ? Se bem, que depois que voltei da Bélgica, onde estava beeem mais frio que Paris, voltei achando que Paris estava até com uma temperatura agradável.

Carette na Place des Vosges

Carette na Place des Vosges

Olhando para cima me dei conta do privilégio de estar sentada embaixo dos arcos da Place des Vosges que à noite são realçados pela iluminação, como todos os monumentos em Paris. Quer dizer, a sopa era um detalhe naquele cenário deslumbrante.

Carette

Carette

Confesso que o serviço e a sopa me surpreenderam para melhor. Aliás, é difícil comer mal em Paris. O creme de  abóbora estava muito bom, saboroso e levíssimo, como eu queria.

Creme de abóbora

Thé

Para finalizar,  um chá que se tornou  imponente no conjunto da obra.

Vosges belíssima !

Voltei caminhando devagar, me despedindo desta Praça que respira história,  como por exemplo,  foi endereço de Victor Hugo.

Posso dizer que caminhava  sem nenhuma preocupação com segurança.  Aliás, não tive nenhum problema a qualquer hora do dia. Ainda fui até o caixa eletrônico sacar dinheiro para pagar o taxi, detalhe, os caixas  ficam na rua.

A série de posts desta viagem:

Marais chez moi

Poîlane, tradição perpetuada na família

Caminhando e me emocionando

Carroussel do Louvre e Mariage Frères

Jacques Génin, impecável

Indo à Gand em missão de família

No Marais, Camille e Les Philosophes

No Marais, Camille e Les Philosophes

Nesta viagem, levei  uma listinha  de restaurantes, mas pena não deu para ir a todos. No Marais, estive em dois restôs que recomendo, o Camille e o Les Philosophes que  ficam numa área do Marais que equivale ao Baixo  Leblon, no Rio. As ruas Franc-Bourgeois, Vieille du Temple e Rosiers que nos fins de semana fervilham de gente jovem, e não tão jovens.

Camille

Na volta da viagem à Gand, chegando em casa, saí direto  para jantar com muita fome. Fui  à pé  rapidinho ao restô Camille, na Rue des Francs-Bourgeois. Mesmo sem reserva, entrei e consegui mesa,  mas, sugiro que se possível façam reserva, pois, um pouco depois as mesas estavam todas ocupadas.

É um restaurante tipicamente francês com  ambiente acolhedor, como podem ver pelas fotos, e serviço muito atencioso.

O serviço é tão rápido que na foto abaixo, só dá para ver o ectoplasma do garçon 😉

Logo, o menu é trazido a você, no quadro negro que colocam na cadeira à sua frente. Simpático não ? Letras grandes, dá para ler sem óculos 🙂

Como precisava comer algo “suculento”,  pois não tinha tido tempo para almoçar, pedi côte de boeuf grillée,  frites maison.

Côte de boeuf grillé

A carne estava no ponto certo, o sauce delicioso, e as batatas fritas que acompanhavam,  crocantes, perfeitas. Parece um prato simples, mas fazer bem feito,  não é.

Quase dá pra sentir o gosto, concordam  ? Ah, e  claro que tomei vinho nacional :mrgreen:

Camille

Para fechar, pedi o crème brûlée que adoro. Posso dizer que estava diiivino 😆

Crème brûlée

Crème brûlée

Comi muito bem e quanto paguei ?  37,30 euros.

No menu do restaurante há pratos tradiconais como: tartare, magret de canard, pot au feu, e muitas outras delícias. Boa carta de vinhos.

Ambiente agradável, preço acessivel e comida bem feita que é tudo que se quer entrando num restaurante.

Mapinha abaixo:

Camille

Camille

Camille   –   24, Rue des Frans-Bourgeois – Marais

tel:   (33) (01) 42 72 20 50

Metrô: St. Paul

Les Philosophes

Les Philosophes

No sábado, saí para almoçar com vontade de comer um confit de canard. Fui a outro restô no Marais, na Rue Vieille du Temple, o Les Philosophes que está sempre cheio.

Les Philosophes

Como disse, o restaurante estava cheio, mas rapidamente consegui mesa para sentar. Vale a pena ter paciência e esperar um pouquinho.

O restaurante fica na esquina da Rue Vieille du Temple com a Rue du Trésor, esta gracinha.

Rue du Trésor

Pra começar pedi algo apetitoso, foie gras com geléia de figo e torradas. Muuuito bom.

Foie gras, torradas e geléia de figo

Segui com o confit de canard (pato) que me deu vontade de morder a tela agora :mrgreen:  Vinho nacional, claro.

Confit de canard

Para sobremesa pedi a Tarte tatin, especialidade da casa, mas o rapaz da mesa ao lado ficou com a última fatia 😦

Então, sem pestanejar pedi …… vocês já sabem 😉

Crème brûlée

Crème brûlée

Quanto custou ?  44 euros


Apesar de cheio, o garçon servia com rapidez e boa vontade.Vi poucos turistas, uma mesa de italianos que não tem como disfarçar, falam alto e com as mãos 😉  Saí do restaurante tão satisfeita como na véspera do Camille.

Saindo do Les Philosophes segui pela Rue Vieille du Temple que borbulhava.

Rue Vieille du Temple

Muitas  lojas de roupas charmosas, perfumes, óculos, tudo o que nós mulheres adoramos 😉

Continuando na rue Vieille du Temple

    

Rue du Marché des Blancs Manteaux, outra gracinha.

As ruas no Marais são tão agradáveis para caminhar, construções históricas lindas, galerias, museus.

Rue Vieile du Temple

E… claro,  a Place des Vosges.

Lembrando que fui duas semanas antes do Natal, esta vitrine estava linda !

Rue Vieille du Temple

Les Philosophes – Rue Vieille du Temple, 30 – Marais

tel: (33) (01) 42 72 47 47

Aberto todos os dias de 9:00 a 01:15

Metrô: St. Paul ou Hotel de Ville

Les Philosophes